| DICA!: Comece a acessar como: QueroScat.com

quinta-feira, 22 de março de 2018

Psicologia: Fetiche Scat está ligado a infância?

desejo sexual por fezes

De onde vem o tabu? 

Como a infância é o começo de tudo, é possível compreender muitas
dessas questões  voltando a esse momento do desenvolvimento.


Segundo os estudos de Freud, a criança vive, aproximadamente entre dois e quatro anos, um período chamado de "fase anal", em que estabelece uma relação de descoberta e exploração com a função de excreção. Na teoria freudiana, o ânus representa a zona de erotização, e a utilização dele está intimamente ligada ao controle dos esfíncteres.

Quando a criança descobre que pode controlar essa parte recém-descoberta do corpo, encontra uma nova fonte de prazer, sentindo o cocô e o xixi como algo feito por ela.

Ou seja, a capacidade de "prender" ou "liberar" o cocô é algo que dá prazer corporal à criança. Além disso, muitas crianças retém as fezes, pois também sentem prazer na reação de atenção que recebem com a preocupação dos adultos. Quando finalmente liberam o cocô, a tranquilidade que os cuidadores responsáveis demonstram contribui para que os pequenos enxerguem as fezes como um 'presente valioso' produzido por ela.
“A criança tem prazer em defecar, em brincar com as fezes, não as percebe como algo nojento. Mas, à medida que vivencia o processo de socialização, deve renunciar a essa forma de prazer e a outras tantas relacionadas a prazeres corporais, como, por exemplo, morder outras pessoas e mexer nos órgãos genitais”, explica a psicóloga Isabel Gervitz.

Para Isabel, o fato de o assunto cocô ainda ser um tabu está ligado a um processo de construção de sentido. “Do ponto de vista cultural, encaramos as fezes como algo sujo e compreendemos a sujeira como um ‘desvalor’. Percebemos isso em vários aspectos ligados à infância, como por exemplo a preocupação excessiva dos adultos com o fato da criança se sujar ao brincar”.
O que acontece na infância não fica na infância
fetiche sexual por fezes
Para o pediatra Carlos Eduardo Correa, 
quando nos tornamos adultos, colocamos este tema em uma espécie de ‘esconderijo’.
Os adultos têm vergonha
os cavalos ignoram
os cachorros gostam de cheirar
e os bebês fazem na fralda


Retirado de catraquinha.catracalivre.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário