| DICA!: Comece a acessar como: QueroScat.com

terça-feira, 27 de março de 2018

Conto: Gozando e mijando 2 vezes.

Retirado do site: adoida.com.br
Escrito por:  japinha anônima

Sou uma japinha de corpinho bem brasileiro, bundinha arrepidata, 1,65 cm e 50 kilos, tenho 24 anos, não sou lésbica mas desde a adolescência sinto tesão quando fico muito apertada para fazer xixi e quando vejo outra mulher na mesma situação principalmente se ela estiver se contorcendo para se segurar.

Por conta deste tesão já pude passar por situações de intenso prazer, tanto no momento do alívio sublime e delicioso da mijada quanto no aspecto sexual.

Quando era adolescente e virgem sentia um imenso prazer quando conseguia me aliviar em circunstâncias que ficava extremamente desesperada pra fazer xixi. Eu imaginava que o prazer do orgasmo sexual poderia ser semelhante então passei a associar uma coisa com a outra que permaneceu mesmo depois que comecei a transar e mesmo depois que tive os meus primeiros orgasmos. Aliás tenho uma condição fisiológica interessante: toda vez que eu gozo sinto uma imensa e descontrolável vontade de fazer xixi, outro aspecto que já proporcionou muito prazer sexual.

Enfim meu tesão sexual é sempre intenso quando fico desesperada para fazer xixi ou quando vejo outra mulher na mesma situação, lembrando que não sou lésbica mas essa condição me deixa muito excitada. E quando estou muito apertada para fazer xixi ocorre um misto de aflição, desconforto e desespero para o alívio imediato e um tesão imenso. Isso eu não consigo explicar.

Pois bem aqui vai então o meu primeiro conto com o prazer da mijada. Tenho muitos e começarei com este que ocorreu em 2007.

Duas amigas minhas me convidaram para uma balada noturna e resolvi ir com elas que combinaram de me pegar em casa. Quando chegaram havia uma outra garota com elas que eu não conhecia e que morava bem perto de minha casa, chamada Kelly. Era uma morena de cabelos castanhos claros de corpão bonito e vestia uma bermuda branca bem colada ao corpo. Na balada nos divertímos, dançamos bastante e bebemos muito, tiveram algumas paqueras mas nada consistente e chegou a hora de ir embora. Pois bem, as bebidas faziam efeito em meu 

corpo e minha bexiga pedia desesperadamente para ser esvaziada. Disse a minhas amigas que estava muito apertada e antes de ir embora comentei que iria ao banheiro. A Kelly disse que também precisava muito ir ao banheiro e fomos juntas mas as filas dos banheiros femininos são sempre kilométricas e ela comentou comigo que seria mais rápido sairmos e irmos para casa. Bem eu balançava o meu corpo deixando bem nítido que eu já estava no limite e pensei bem e achei a idéia melhor mesmo. Resolvemos ir embora e o meu desespero para mijar estava imenso. Bem, teoricamente em 20 minutos eu estaria em casa mas o trânsito atrapalhou bastante e já estava quase me mijando. A Kelly estava na mesma condição mas ela parecia gostar de me vêr naquela situação o que foi me deixando excitada e desesperada ao mesmo tempo. Em um determinado momento a Kelly pediu para nossas amigas pararem em algum lugar por que ela e eu estávamos quase fazendo xixi na roupa. Elas comentavam que não havia lugar com banheiro disponível mas a Kelly insistiu que parassem em qualquer lugar que daríamos um jeito. Eu usava um minivestido de seda e estava no banco de trás junto com ela com as pernas juntinhas me segurando ao máximo. 


Minha amiga parou o carro e eu e a Kelly descemos e ela mostrou um cantinho em uma vielinha escura onde poderíamos nos aliviar. Ela foi na frente andando rápido e fui atrás dela quase me mijando. Ela entrou na vielinha andou alguns metros e rapidamente abaixou sua bermuda e calcinha e percebi que ela estava muito desesperada para mijar foi só o tempo de baixar tudo se agachar e soltar o esguicho do xixi e ela gemia de prazer com aquele alívio que me deixou com tesão e assim não consegui me segurar. 

Aquela cena me deixou com tanto tesão que meu xixi começou a sair incontrolavelmente e rapidamente abaixei a minha calcinha branca já toda molhada e esguichava o mijo na calcinha e no chão e a Kelly olhava para mim dizendo como aquilo era bom. Estávamos tão desesperadas para mijar que o xixi não parava de sair. Ela terminou primeiro e se levantou sem levantar sua bermuda deixando sua vagina à mostra e disse em tom de ordem: “Me dá a sua calcinha”. Confesso que achei aquilo estranho e respondi que estava toda molhada de xixi e ela insistiu na ordem. Terminei o meu delicioso alívio, tirei a minha calcinha e lhe entreguei e ela simplesmente a pegou e colocou em seu rosto cheirando toda a calcinha dizendo que aquele cheiro era delicioso e rapidamente enfiou a mão em minha buceta dizendo que era um tesão me ver apertada e mijando muito. Como eu já estava excitada com toda aquela situação eu nem reagia apenas me deliciei com o seu toque e ela dizia que era muito gostoso sentir a minha buceta molhada de mijo e tesão.


Seu toque era simplesmente maravilhoso e pela primeira vez fui tocada por uma mulher. Ela peguntava se eu tinha ficado excitada vendo-a desesperada para mijar e mijando muito e apenas consegui balançar a cabeça concordando e o tesão chegou a um ponto explosivo que me proporcionou um orgasmo muito intenso fazendo o meu corpo tremer inteiro descontroladamente. Ela sorria para mim dizendo que quando me viu desesperada para fazer xixi era tudo o que ela queria fazer, me ver mijando e gozando. Ela vestiu sua bermuda e pegou minha calcinha dizendo que agora era dela. Eu estava sem ar e voltamos para o carro onde nossas amigas esperavam e perguntaram porque demorávamos e a Kelly rapidamente respondeu que tivemos que procurar um lugar discreto e por isso tínhamos demorado.
Como eu já disse antes a fisiologia de meu corpo reagiu a toda aquela situação. Depois daquele orgasmo intenso veio uma forte e incontrolável vontade de fazer xixi novamente entrei no carro quase me contorcendo e pensei que ficaria muito estranho dizer que eu estava apertada de novo. 

Então cruzei as pernas rezando para chegarmos logo em casa. Eu me balançava tentando me segurar e a Kelly olhava para mim com um olhar de tesão, mordendo os lábios. Depois de 15 minutos chegamos a minha casa e só pensava em ir correndo ao banheiro. Saí do carro me despedindo de todas e a Kelly resolveu sair do carro dizendo que também desceria e mesmo sendo tarde sua casa era bem próxima e daria para ir a pé conseguindo convencer nossas amigas. 

Enquanto elas manobravam os carros eu prendia a respiração para não soltar o esguicho do xixi e quando elas foram embora a Kelly olhou para mim e disse que estava com tesão novamente me vendo desesperada para mijar. Eu lhe disse que dessa vez eu iría ao banheiro mas ela respondeu: “Você está de vestido, abre as pernas e mija aí agora” e eu simplesmente não consegui me segurar fiz o que ela mandou e eu simplesmente suspirava com aquele esguicho de xixi. Ela olhava aquilo com uma expressão de tesão e quando terminei ela me empurrou para um canto da garagem de minha casa e novamente enfiou a mão em minha buceta molhada de mijo e dizia que era uma delícia sentir a minha buceta daquele jeito toda úmida de xixi e aí ela se agachou e enfiou seus lábios maravilhosos em minha vagina e eu já não me controlava mais simplesmente senti um intenso orgasmo espasmódico, meu corpo não parava de tremer e não consegui ficar mais em pé, tive que me agachar enquanto ela se levantava e dizia que agora ela tinha com quem compartilhar esse maravilhoso tesão. 

Foi minha primeira experiência com outra mulher que além de tudo compartilhava o mesmo tesão. Por duas vezes seguidas na mesma noite o duplo tesão, a deliciosa mijada depois de ficar desesperada para mijar e orgasmos alucinantes e a descoberta de uma nova amiga com o mesmo prazer. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário