| DICA!: Comece a acessar como: QueroScat.com


domingo, 25 de março de 2018

Conto: O chocolate da minha mulher.

marido gosta de sexo com fezes
Retirado do site: casadoscontos.com.bt
Escrito por:  komebosta

Depois de vários anos alimentando a fantasia de ver uma mulher cagando, ou melhor, fazendo deliciosos e caramelados bombons em mim, e depois de longas cheiradas nas calcinhas usadas e papéis higiênicos usados por ela, resolvi me abrir e dizer a ela minha fantasia. 

Expliquei que a fantasia se devia a vários fatores psicológicos. Um deles é a curiosidade de ver uma mulher, que já é uma criação perfeita de Deus, linda, perfumada, bem vestida (de preferência com vestidinho curto preto ou branco), de saltos finos e cheirosa fazendo cocô. 

Acho isso poético, um ser tão belo e frágil fazendo algo tão grosseiro e nojento, os contrastes me atraem. Além disso o sentimento de submissão à uma mulher, de sentir o poder dela frente a nós. Somos tão inferiores que sem elas nem ao menos existiríamos, pois somos gerados dentro delas. Que coisa mais excitante ver uma mulher com o rabo com aquele cheiro de hormônios femininos agregado ao cheiro da merda que restou no orifício simplesmente chegando, ordenando que vc fique quieto e passando o rabo na sua cara, como quem diz: Lambe minha bunda submisso, cheira o que há de mais podre em mim. 

Puts, extremamente excitante, não acham? 
Em terceiro lugar a questão visual, só quem gosta de sexo anal e scat é que entende. Ver uma mulher defecando é lindo, peidando, enfim, fazendo algo tão natural e que todo mundo esconde. O proibido excita também...

 Chegou o grande dia e minha mulher estava linda, com um vestidinho preto meio transparente, uma calcinha fio dental lindíssima, cabelos loiros lisos até na cintura, maquiada, de saltos altos finos e com algemas na mão. Ela simplesmente chegou em casa e algemou minhas mãos e me disse: Fica calado e me obedeça!!! 
E eu fiquei, ela apagou as luzes e colocou uma pequena luz vermelha em formato de coração que havia comprado acesa. Colocou uma musica baixinho e começou a dançar frente a mim, me excitando, me instigando. Passava a bunda na minha cara, esfregava o ânus no meu nariz, me sufocava!!! Eu podia sentir o cheiro do perfume anal que estava naquele cuzinho tão lindo e delicado. Aos poucos ela tirou a roupa e foi fazendo loucuras, cuspiu na minha cara, lambeu meu pau, passava toda hora a bunda na minha cara e as vezes me sufocava com aquela linda e grande bunda durinha. 

Quando eu menos esperava ela peidou na minha cara. Confesso que nunca senti um cheiro tão alucinante, uma mistura de gases com hormônios de fêmea, super excitante, meu pênis estava como ferro, duro e muito louco pra fudê-la. Aos poucos ela sentava na minha rola, dava umas bombadas e depois tirava, novamente me sufocando com aquela bunda deliciosa. Cuspia novamente na minha cara e mandava eu engolir. Passava aquela buceta linda no meu nariz, enfiava meu nariz pra dentro dela, esfregava tudo na minha cara. Confesso que estava em êxtase. Quando eu menos esperava, ela se ajoelhou sobre meu peito e ficou parada. Minha expectativa era enorme. Ela soltou um longo e saboroso peido e após alguns segundos começou a sair aquela massa densa, marrom, quente e vibrante sobre mim. Antes que ela caisse no meu peito ela se arredou e deixou que caisse no meu rosto, e eu sem titubear deixei que caísse na minha boca, senti o calor daquele bombom na minha boca, não mastiguei mas senti, achei delicioso como uma trufa de chocolate e cuspi sobre mim. Ela novamente se arredou para meu peito e foi fazendo mais e mais. 

Cada pedacinho de merda que saia era como se eu estivesse recebendo um novo prêmio. 

Por fim ela passou o cuzinho ainda melado sobre minha cara e nariz e se limpou em mim. A sensação de submissão que sentia era mágica, finalmente minha mulher conseguiu me mostrar sua superioridade, como se realmente eu fosse um escravo dela, uma simples propriedade. Logo após ela tirou minhas algemas e ordenou que eu me masturbasse, mas eu comecei a passar todo aquele delicioso barrinho dela sobre todo o meu corpo, como se estivesse fazendo um banho de lama medicinal, fiquei todo borrado e marrom e iniciei a masturbação. 

O cheiro do ar era perfeito, me excitei demais e gozei rajadas fortes de porra na boca dela, e ela engoliu tudinho, não deixando nada pra ninguém. Tomamos um banho juntos e saímos para jantar e comemorar esse dia tão feliz juntos. 

Desde então ela sempre continuou mandando em mim, fazendo de mim seu escravo, ordenando que eu cheire seu cu, seus peidos e me humilhando como gosto. 
É sadio sentir o poder de uma fêmea.

Nenhum comentário:

Postar um comentário