| DICA!: Comece a acessar como: QueroScat.com


sexta-feira, 23 de março de 2018

Tudo sobre peidos.

Retirado dos sites: hypescience.com  revoada.net  e megacurioso.com

Soltamos cerca de 14 puns por dia
A pessoa média produz cerca de meio litro de peido a cada dia, e mesmo que muitas mulheres não admitam, elas soltam gases tão frequentemente quanto os homens. 

Aliás, um estudo mostrou que, quando os homens e as mulheres comem exatamente a mesma coisa, elas tendem a ter mais gás concentrado do que os homens. Ou seja, os peidos das mulheres cheiram pior do que os dos homens. 

Se uma pessoa peidasse constantemente durante 6 anos e 9 meses, iria produzir gases com energia equivalente à de uma bomba atômica.

Do seu corpo para o mundo a 11 km/h

A velocidade de saída e a dissipação do pum na atmosfera podem variar de acordo com as condições do tempo, do espaço e também da força que você colocou para liberar seu filho gasoso. Em “condições ideais de temperatura e pressão”, o pum ganha liberdade a 11 km/h e permanece perceptível ao olfato por cerca de 10 a 15 segundos.


Em algumas culturas, o peido é respeito

Aqui no Brasil e na maioria dos países de cultura ocidental, soltar pum chega quase a ser um tabu. No mínimo, é falta de educação. Mas em outras partes do mundo ele é tratado com mais consideração. Se você estiver na China, por exemplo, com certeza ouvirá alguns barulhos estranhos pelas ruas ou até mesmo vindos da mesa vizinha no restaurante. Por lá, as pessoas não ligam muito para isso — puns e arrotos são normais e podem até sinalizar satisfação.


Mas o que é o pum?

Puns são causados por ar aprisionado. Esse ar pode vir de diversas fontes. Por exemplo, ar que engolimos ao mastigar ou beber. Um pouco desse ar é causado por gás penetrando em nossos intestinos a partir do nosso sangue, e um pouco de gás é produzido por reações químicas em nossos intestinos ou bactérias que vivem lá.

Um peido típico é composto por cerca de 59% de azoto, 21% de hidrogênio, 9% de dióxido de carbono, 7% de metano e 4% de oxigênio. Apenas cerca de 1% é gás sulfídrico e mercaptanos, que contêm enxofre – e é o enxofre que causa mau cheiro.

Peidos fazem som quando escapam devido às vibrações do reto. A altura deste som pode variar dependendo da quantidade de pressão por trás do gás, bem como o aperto dos músculos do esfíncter.


Por que alguns puns são tão fedidos?



Quanto mais rica em enxofre for sua dieta, mais seus peidos vão feder. Alguns alimentos contêm mais enxofre do que os outros, e é por isso que comer coisas como feijão, repolho, queijo, refrigerante e ovos pode causar gases terríveis.


E por que gostamos do próprio pum?

Cada dia, a raça humana produz cerca de 70 bilhões de peidos, o que significa cerca de dez por pessoa, inclusive você. Mas por que o peido parece menos fedido para quem o fez? Por que gostamos do cheiro de nossos próprios peidos?


Por mais engraçado que seja, os cientistas confirmaram que, de fato, em testes de olfato, realmente achamos nossos próprios cheiros mais agradáveis que os dos outros.

Quanto mais você está familiarizado com algo, seja uma música, imagem ou mesmo um cheiro, é mais provável que você vá preferir este algo. E como o cheiro produzido pelas bactérias no seu corpo é totalmente único, diferente do cheiro de todas as outras pessoas, nossos próprios peidos têm um cheiro reconhecível que nossos narizes podem perceber.


Outra curiosidade é que a percepção de nojo é uma combinação de idade, sexo, cultura e até personalidade: pessoas que são mais ansiosas ou conservadoras geralmente são mais sensíveis a fedores que as mais aventureiras.

Por fim, outro fato pouco conhecido é o córtex cingulado anterior, que processa a surpresa, fica sabendo quando peidamos e pode antecipar o cheiro que vem por aí. Por isto, os peidos silenciosos dos outros parecem muito piores: a surpresa do cheiro ruim aparecendo do nada, sem aviso nenhum, é um golpe aniquilador no nosso senso de realidade.

Ou seja, você pode mergulhar na glória do teu próprio fedor.



Peidar é sinal de intimidade.

Em um levantamento feito com 125 pessoas, descobriu-se que a maioria delas leva entre dois e seis meses até soltar um punzinho na frente do ser amado – metade dessa galera admite que peida em frente ao companheiro sem cerimônia e um quinto disse que já estava liberando os gases todos em questão de semanas. Há, no entanto, intestinos mais reservados, que esperam mais de um ano para tal feito.

Dos entrevistados, um terço disse que é normal soltar aquele punzinho na frente do ser amado quando um começa a dormir na casa do outro com mais frequência.

Em relação ao gênero, temos uma grande diferença: 73% das pessoas que dizem esperar que o outro dê o primeiro pum do relacionamento para, enfim, liberar as porteiras intestinais são as mulheres.

Em linhas gerais, essa pesquisa nos mostra que a falta de timidez intestinal é sinal de um relacionamento saudável e confortável. Encarar nossas respostas fisiológicas como algo natural e, em alguns casos, engraçado, é a melhor coisa a ser feita: deixa tudo mais leve e mais íntimo.

E se segurar, o que acontece?


Nem sempre é possível soltar pum quando temos vontade, e somos obrigados a segurar os gases até que possamos nos livrar deles. Quando seguramos o flato, ele volta ao intestino, ficando lá, acumulado, até que ele seja liberado. Embora segurar o pum não provoque o risco de que você exploda ou coisa parecida, prender os gases pode provocar dores e distensões abdominais, além daquela incômoda sinfonia dentro da barriga.

Mesmo que você segure um pu
m o dia todo, 
ele sairá enquanto você dorme

Mesmo se você apertar seu bumbum e segurar o pum o dia todo, o gás vai escapar quando você relaxar. E o que é mais relaxante do que dormir?

Nenhum comentário:

Postar um comentário