| DICA!: Comece a acessar como: QueroScat.com


segunda-feira, 2 de abril de 2018

A origem dos meus fetiches.

fetiche scat é o sexo com cocô
por Gustavo Scat (Loiroomegle)

Esses dias eu parei pra pensar...
Por que eu gosto de cocô? mijo? Qual o motivo?... existe um?

Será que me aconteceu algo pra gostar, ou nasci assim...
Fui influenciado a gostar sem querer, talvez?

São muitas as perguntas e talvez tenho as respostas.


Na real, acredito que todos nós somos sim influenciados a gostar de algo.
Ninguém nasce gostando de "uva", se nunca ouviu falar de uva,
nunca viu, experimentou ou pesquisou sobre.
Ta, eu usei um exemplo besta, mas deu pra entender?

E também não compro a ideia de que "precisa experimentar primeiro, pra gostar".
Eu posso ter curiosidade em algo ao ponto de virar um gosto, não acha?

Eu por exemplo ainda nunca pratiquei sexo com merda e peido com outra pessoa.
Mas já brinquei várias vezes comigo mesmo, pesquiso sobre e tenho um verdadeiro tesão no assunto.


E como alguém passa a gostar de um fetiche tão diferente como Scat?
Já que não é tão influenciável pela sociedade como BDSM por exemplo:
um fetiche tão popular que existem até mesmo filmes sobre o gênero,
podendo influenciar uma massa de pessoas curiosas (e com tesão).

Scat não é popular.
Scat na verdade é um fetiche escondido, onde a sociedade nem comenta sobre o caso,
e se comentar 90% das vezes é pra julgar e falar mal.
É um fetiche tabu absurdo, o maior deles. E eu não ligo pra isso.

Não sou hipócrita de falar que é algo normal e cotidiano, por que não é.

Então como conheci o fetiche?
Como comecei a sentir tesão por merda, mijo e outros?

Vamos lá...



Dentre varias pesquisas sobre matérias que fiz para o blog,
muitas delas mencionam a infância como a principal aliada para a formação de fetiches.
Não que este seja o único meio para influenciar um fetiche novo,
mas sim um meio dentre tantos. E ouso dizer que possa ser o principal deles.
Pelo menos comigo foi assim.

sexo com cocô ou banho marrom

Separando lembranças de possíveis gatilhos para meus gostos excêntricos,
lembro que a primeira vez que vi uma revista pornô na vida - roubando da coleção
de meu irmão mais velho - eu estava no banheiro, cagando.


Foi a primeira vez que vi sexo, buceta, pau e putaria na minha vida.
O primeiro contato, a descoberta do sexo, e muito provavelmente
a primeira vez que senti tesão. Eu era muito pequeno.

E indiretamente, eu estava fazendo cocô.
Coincidência?

Isso de algum modo marcou meu subconsciente. Associei as duas coisas,
o prazer e a merda, mesmo que "sem querer".


- Uma pausa:
Se você quiser entender e estudar mais sobre psicologia Scat, leia:  
Psicanálise: Fase Anal.
Psicologia: Fetiche Scat está ligado a infância?
Psicanálise, o inconsciente e o cocô.
Sugiro também de uma fuçada em todas as Matérias
Lá tem muito mais textos sobre o assunto, inclusive com o tema mijo e peido também.


Voltando as minhas lembranças e possíveis gatilhos...

A primeira vez que ouvi sobre sexo e merda no mesmo contexto,
meu irmão mais velho (o próprio) que comentou sobre.
Lembro exatamente como, e onde foi.

Estávamos no shopping onde meu pai trabalhava na época,
meu irmão estava comentando sobre vídeos bizarros da internet.
Eu tinha mais ou menos meus 9 anos de idade, e ele me contou
ter visto um vídeo sobre pessoas que comiam merda - cagavam na boca da outra.

Claro que na hora e no susto, achei um absurdo. Mas ao mesmo tempo intrigante e muito curioso.

-

Lembro também de assistir um programa de TV, onde pessoas faziam coisas por dinheiro.
Um dos desafios era andar de bicicleta com um pedaço de pizza na bunda, e depois come-la.
(bizarro, eu sei. kk)
Um dos participantes ainda comentou "Tem cocô ai!". Mesmo assim, os jogadores comiam tudo
.
Eu lembro de tudo isso, e sério, ainda tenho flashes de imagens na memória.
E eu era uma criança, isso faz muito tempo... Então por que ainda lembro disso tudo?
De certa forma, me marcou.

- Teve uma vez que estava tão curioso por cocô,
que comi varias bolachas Clube Social - aquelas água e sal - pra poder cagar
no papel higiênico e ficar admirando minha "obra de arte".
Pra mim parecia um bombom de chocolate embrulhadinho com o papel em volta. Ou um sorvete de massa de chocolate, pelo formato que cai de casquinha, sabe?
É maluco, eu sei. Mas estou sendo muito sincero.


- Outra vez estava no clube da minha cidade.
Tinha acabado de brincar sozinho no parquinho e apoiei numa pedra grande.
Foi aí que melei a minha mão com um possível cocô.
Digo possível por que não lembro.
Lembro que era marrom, e lembro de lembrar que era cocô. haha.
Nojento. Dessa vez  não me causou nada demais.
Mas me marcou, e eu não sei o porque.


Cá entre nós?
Sempre tive a mania de colocar o dedo no cu e cheirar.
Eu não sei o quão normal isso é entre as pessoas, mas que atire a primeira pedra quem nunca o fez.
Sempre gostei desse cheiro.
E pode nem ser em momentos de tesão absurdo, mas no cotidiano mesmo.. coloco o dedo lá e sinto o cheiro de cu. Cheiro de merda.
É uma delicia! E faço isso desde criança.
Isso sem falar em peidar na mão e trazer pra cheirar e apreciar o próprio peido.


mulher fazendo coco

Vou contar sobre a primeira vez que vi uma garota pelada na minha frente, ao vivo.
Éramos crianças, nem conhecíamos sexo ainda... devia ter meus 6 anos.
E sabe aquela época de curiosidade de criança?
Que mesmo sem saber nada sobre, "brincamos de médico" e coisas do tipo.
Apenas criança sendo criança: Puras, "ingenuas" e curiosas.

Estava na casa de uma amiguinha minha, filha de uma amiga da minha mãe.
Aquelas amizades que vem desde muito muito pequeno, pais com filhos da mesmo idade, sabe?

Estávamos no quarto, eu ela e mais uma amiga,
quando de repente ela sentiu vontade de fazer xixi.

Ela simplesmente foi ao banheiro e começou a se aliviar, ali, na minha frente de porta aberta.
Ainda disse que aquilo era a coisa mais normal do mundo.
Foi a primeira vez que vi uma garota pelada, e sim, foi fazendo xixi.


video de chuva marrom e fetiche scat

Depois de todas esses possíveis gatilhos, para um possível fetiche no futuro,
anos depois surgiu o clássico vídeo 2 girls 1 cup. O divisor de águas na minha vida.
Este é um pornô onde uma mulher da uma bela cagada em um copo e fica
se deliciando com a merda na boca, mastigando e beijando outra garota com a bosta.
(leia sobre 2 Girls 1 Cup aqui).

Era 2007 e eu já tinha lá meus 13 anos de idade.
Na época ele se tornou viral, e um amigo meu comentou sobre o tal vídeo bizarro e nojento
que se tornou o novo meme da época, apelidado por ele de "Milk Shake".

Eu não assisti junto com meu amigo. Assisti sozinho.
Confesso que não foi amor a primeira vista - inclusive pela parte do vômito, não curto. -
Mas foi a partir desse vídeo que conheci de verdade o Fetiche Scat.


A partir daí meu amigo... mais vídeos e mais tesão.
Descobri significados dos nomes dos fetiches e suas siglas,
a difícil batalha de achar conteúdo com qualidade, se masturbar e
conhecer o próprio corpo incluindo scat, experimentar o gosto do cocô pela primeira vez
(e sentir culpa depois), a difícil fase de auto aceitação... e por aí vai!

Tudo meio que se interligou.
Como se o fetiche por merda fosse criando suas vertentes,
chegando também as vontades por mijo e peido.
- O meu primeiro vídeo pornô sobre peido cliquei nele sem querer, pela categoria bizarros no Redtube.
Era uma mulher que peidava em um bolo, melecando toda a bunda com cobertura de chocolate enquanto soltava os puns por cima de tudo. Eu só conseguia pensar - "quem sente tesão nesse tipo de coisa?".
Que ironia do destino, a minha.

Enfim, uma coisa levou a outra. E hoje todas elas caminham deliciosamente juntas.



O fetiche por cuspe descobri a pouquíssimo tempo, só que dessa vez na prática!
A mais ou menos 2 anos atrás, conheci uma garota na balada e fiquei muito bêbado, ao ponto dela precisar cuidar de mim. E nessas dela me dar água pra eu melhorar, ela tomou um gole de água e me beijou.
Só que ao invés de engolir, ela cuspiu o pouco de água que tinha na boca enquanto nos beijávamos.
Senti aquilo geladinho... foi algo muito intimo e muito gostoso.

No dia seguinte fui perguntar pra ela se aquilo tinha rolado por querer,
já que podia ser coisa da minha cabeça...
e realmente rolou, e foi de propósito mesmo.
Ela já gostava de cuspe, atirou pro alto e deu certo!
Aí então o mundo ganhou mais um adepto a pratica. haha


fetiches sexuais bizarros

E pra fechar a minha lista de origens fetichistas com chave de ouro:
Sabe como me descobri bissexual?

Um conhecido meu me falou sobre um tal site chamado Omegle.
Este é uma espécie de bate-papo online, só que por vídeo chamada.
Como se fosse um Skype com várias pessoas aleatórias.

O site por sua vez tem uma aba para adultos, e claro, a maioria são homens.

Resumindo a ópera?
Descobri que sentia tesão por pau batendo punheta na internet. (HAHAHA).
E isso é recente... descobri em 2015.

Tanto que considero o tesão por caras um fetiche também.
Ta, você provavelmente não vai entender - nem eu me entendo ainda -
mas sinto tesão apenas pelo sexo, com caras.
Nada de relacionamento, carinho, amor ou se apaixonar. Apenas sexo.
Louco né? Pelo menos nunca aconteceu o contrário.

Tanto que meu usuário nas redes sociais, Skype e Snapchat,  é Loiroomegle.
E agora você sabe porque.


fetiche scat é o sexo com cocô

No final de tudo isso, vou continuar te dizendo por mais clichê que possa parecer: Permita-se.

Descubra o que te faz bem, o que te faz feliz e o que te proporciona tesão.
E se aceite como você é.

Contanto que não seja ilegal e que não faça algum mal para outros, seja feliz! Se conheça!
Ninguém sai perdendo, muito pelo contrario, é mais uma ferramenta de prazer pra você.

Faça tudo sempre com bom senso e segurança.


+ SOBRE MIM
- Veja o meu perfil completo em: QUEM SOU EU?


Mas agora me conte!
Você também já se perguntou de onde veio suas origens Scat?
Estou curioso pra ler tudo aqui nos comentários.

6 comentários:

  1. Gostei de ler sobre como você descobriu sobre o gosto por esse fetiche, de certa forma eu me indentifiquei. Ainda que as experiências tenham sido diferentes, os sentimentos foram bem senelhantes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Massa, Renan. Tb curto Scat com vc. deliversct@gmail.com

      Excluir
  2. Oi, curto merda desde criança. Não sei exatamente como começou. Só sei q curto. Já transei com um cara q tb curtia, mas ele queria relacionamento, eu, não. Quanto ao enfiar o dedo no cu e cheirar, lembro q desde pequeno fazia isso. Por muito tempo, me senti culpado. Mas depois me aceitei. Massa saber q existe pessoas como eu. Não me sinto tão só. Se quiser entrar em contato: deliversct@gmail.com.

    ResponderExcluir
  3. Me identifiquei com partes dos relatos e no meu caso, a aceitação foi natural. O problema é quando se quer falar pra pessoa que amamos,no meu caso, minha esposa. Simplesmente as palavras não saem e o jeito é comer a sopa pelas beiradas. Hoje já fazemos sexo com cuspe e ela mija na minha boca. Mas o esperado premip ainda não veio. Sinto que ela sabe que eu quero e está esperando que eu peça. Permite que eu faça oral quando está suada ou depois que veio do banheiro. Faz beijo grego em mim, porque me ama e sabe que eu gosto. Sinto que o scat virá naturalmente e quando vier, relatarei com certeza. Obrigado.

    ResponderExcluir
  4. Amei os chaveirinhos. Todo scater poderia usar. Como uma senha secreta pra facilitar a identificação.

    ResponderExcluir