| DICA!: Comece a acessar como: QueroScat.com


sábado, 14 de abril de 2018

Conto: Chuva dourada na sala de aula.

Retirado do site: casadoscontos.com
Escrito por:  speex

Na escola minha grande paixão era uma professora de biologia. Loira de bundinha arrebitada e peitinhos empinados com mamilos que sempre estavam eriçados parecendo que iam furar a blusa. Um dia ela organizou um acampamento, e eu resolvi ir. Chegamos no final da tarde, montamos as barracas, jantamos e mais tarde fomos dormir. A lua iluminava tudo, todos dormiam, menos eu. Estava olhando a paisagem quando eu vi a professora saindo da outra barraca, com cuidado para não ser percebido fui atrás dela. Parou em baixo de uma árvore, fiquei espiando, ela usava apenas uma camisa longa. Ergueu a camisa e vi que não usava calcinha, ela se abaixou e começou a mijar. De onde eu estava eu podia ver tudo, o xixi saía da boceta da professora em grande quantidade, uma enxurrada de mijo se formou. Excitadíssimo, comecei a bater uma punheta e nem percebi que ela havia acabado e que se aproximava de mim.
- O que você está fazendo aqui? Disse-me ela olhando para o meu cacete duro que até pingava de tanto tesão.
- Eu não conseguia dormir e vi quando você saiu da barraca para fazer xixi, e fiquei espiando, imaginando que você mijava em cima de mim. Falei para ela.
- Você é um pervertido! E voltou depressa para sua barraca.
Nos evitamos até o fim da excursão.
Depois de um tempo, após ter acabado a aula, a professora me chamou.
- Quero conversar com você.
Esperou que todos saissem e fechou a porta da sala. Ficamos sozinhos e ela com jeito de sacana me falou:
- Desde aquela noite no acampamento eu fiquei pensando no que você disse sobre imaginar eu mijando em cima de você, fiquei excitada com essa idéia.
Ela sentou-se sobre a mesa, usava um vestido leve. Alisando as coxas e a xoxota, falou:
- Vem aqui, chupa minha bocetinha.
Levantei o vestido da professora e acariciei suas coxas, tirei a calcinha que estava completamente encharcada e enfiei minha língua entre suas pernas. Ela segurava minha cabeça e puxava com força, como se quisesse enfiá-la em sua boceta. Peguei um dos seios e apertei o mamilo entre meus dedos. Gozou, e o suco escorreu em minha boca.
- Agora você merece uma recompensa por ter me feito gozar tão gostoso. Dizendo isso, ajoelhou-se abrindo minha calça, e colocou meu pau em sua boca, chupando com vontade, deixando-o completamente coberto com sua doce saliva. Quando eu estava quase gozando, ela mandou-me deitar no chão, eu obedeci. Ficou em pé sobre meu corpo abrindo bem as pernas, e começou a mijar gostoso em cima de mim.
A sensação do jato de urina quente atingindo meu peito era incrível, o xixi clarinho parecia água saindo de uma fonte. Ela terminou mijando em cima do meu pau. Quando o xixi acabou, ela se abaixou e novamente colocou meu cacete molhado em sua boca macia e não agüentei, golfadas de pôrra encheram a boca da professora e a safada engoliu tudo, como se fosse iogurte com mel.

Nenhum comentário:

Postar um comentário