| DICA!: Comece a acessar como: QueroScat.com


segunda-feira, 16 de abril de 2018

O íntimo do prazer por merda

 Autor Amigo Este é um texto escrito por um parceiro do blog.
por Renan Ryuji. 30 anos, gay, RJ.


Todos (ou quase todos) os scatersassim que se descobrem um, passam incialmente por um período de dualidade basicamente entre dois sentimentos: primeiro a euforia em curtir o novo desejo, e depois (em geral logo em seguida ao orgasmo) um forte arrependimento por achar que o que fez ou o que assistiu se trata de uma grande loucura. O que é muito justificável, ora, scat é um fetiche muito incomum, raro de encontrar pessoas que o pratique ou falem sobre ele, então, até que a gente passe a aceitar que curtimos mesmo isso, leva um tempo. Até vencer todas as barreiras internas que colocamos diante de nós mesmos, precisamos de todo um processo para entender onde nasce esse desejo por merda.

Segundo a psicanálise há um prazer gerado pela merda que é a admiração ao próprio produto de nosso corpo associado ao prazer de esvaziamento e expulsão de bosta do nosso reto. Essa combinação gera o desejo associado ao scat. Já as formas como esse desejo se materializa podem ser bem diversas: alguns se encantam pelo cheiro, outros por se sujar com merda, outros por come-la direto da fonte, outros por mistura-la a alimentos comuns, e aí vai de acordo com a criatividade de cada um. Nós scaters, aos poucos vamos suplantando os conceitos que se tem que merda é nojenta, ruim, e etc. O que no julgamento de pessoas que não curtem esse fetiche é algo totalmente repulsivo, nós os entendemos como fonte de prazer, tesão, uma delícia.

pigplay gay

Ainda sobre o prazer com o scat, acredito que o tesão se concentre
em alguns pontos em específico: 
a) algo que a maioria das pessoas tem repulsa nos vira um objeto de prazer diferente pela descoberta de apreciar o que foi rejeitado pelo outro, o mistério de descobrir o que é esse novo objeto;
b)o ato de ir banheiro fazer o nº2 é sempre feito sozinho e dentro de uma total privacidade, não costumamos nem anunciar abertamente que vamos cagar e nem comentar depois, é sempre algo muito secreto, e, poder ver a outra pessoa durante esse ato e dividir esse momento de mistério talvez instigue o prazer e o tesão; 
c) os odores também acho que provoquem os sentidos e potencializam o desejo, a maioria dos scaters tem um grande prazer por estes cheiros talvez pelo mesmo motivo do primeiro ponto citado, o desconhecido daquilo que normalmente é recusado.

Numa opinião bem particular eu acho a prática de scat uma das práticas sexuais mais íntimas, se não for a mais íntima. Quem divide o cocô com outra pessoa tem que ter um carinho muito grande, e uma confiança igual para dividir aquele momento com o outro. E de igual forma para quem recebe. Tanto o ato de cagar quanto o ato de se lambuzar com sua própria merda, é algo que você só faz completamente sozinho até descobrir alguém que também curta. E então vocês passarem a dividir esses momentos é de uma intimidade compartilhada sem tamanho. Para mim é como um presente eu poder dividir isso com alguém, e é exatamente aí que reside toda a magia da coisa. É onde nasce o meu prazer!


Mas me digam nos comentários: é igual com vocês? Queria saber um pouquinho se sentem iguais a mim, ou se há outras particularidades. Digam aí! Até a próxima!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário