| DICA!: Comece a acessar como: QueroScat.com

domingo, 8 de abril de 2018

Ser comedor de merda pode ser saudável sim!

 Autor Amigo Este é um texto escrito por um parceiro do blog.
por Renan Ryuji. 30 anos, gay, RJ.


                Ao contrário do que possa parecer, para ser scater, em especial ser eater (comedor) é necessário estar bastante saudável. Primeiro porque ao entrar em contato com merda, estamos na real entrando em contato com uma caralhada de bactérias presente nela. Segundo o “O Que Seu Cocô Está Dizendo a Você” (Josh Richman, Editora Matrix, 2008), são entre 150 a 500 tipos diferentes de bactérias presentes nele, e em alta concentração, até 10 trilhões por grama de bosta. Então é bom mesmo ter uma saúde de ferro pra que os anticorpos estejam preparados para enfrentar essa gang que vai entrar. De sorte, as bactérias que estão nas na nossa merda já estavam antes dentro do corpo, então é muito provável as suas células de defesa já tenham criado anticorpos para cada uma dessas bactérias, pois cada tipo de anticorpo só funciona para um único tipo de bactéria.

                Basicamente quando mandamos pra dentro aquele merdão, engolimos de novo as bactérias que haviam saído na cagada. Mesmo se fosse a merda de outra pessoa, a flora intestinal entre os indivíduos são bem parecidas, em especial quando são pessoas que vive na mesma região, compartilham mesmo hábitos alimentares, etc. A probabilidade se se estar ingerindo as mesmas bactérias é grande.

                Mas e aí, quer dizer que não faz mal nenhum comer merda? Pera lá, também não é tão simples assim. Algumas espécies bactérias são normais de serem encontradas no cocô, porque o habitat delas é nosso intestino, porém eventualmente podem conter vírus e parasitas também, e esses aí não são habitantes naturais do nosso corpo, e quando há presença deles, nos sentimos doentes, seja por alguma infecção viral ou por uma infecção de alguma bactéria que não sejam das naturais do corpo. Quando a gente se sente assim é aconselhável realmente não praticar scat. Assim como também é interessante frequentar um médico regularmente para que ele receite medicamentos antiparasitários, afim de que elimine quaisquer vermes ou protozoários que tenham se estabelecido no nosso trato intestinal.

Por falar em medicamento, depois que tomamos algum remédio ele cria uma reação química dentro do no corpo para surtir o efeito e esperado, e as sobras dessa reação é liberado em forma de metabólito através do mijo e merda, então quando estamos fazendo uso de algum medicamento, também é interessante não praticar scat, pois estarão cheios de compostos químicos que podem causar mal estar.

          Eu curto merda há 13 anos, mas faz pouco tempo que comecei a ter coragem de engolir, mais ou menos uns 2 anos e meio, mas sempre que eu tentava comer ficava nervoso, sentia ânsia e ficava com medo de passar mal depois. Bem, felizmente só aconteceram duas vezes (porém esse relato vai ficar para outra postagem), sempre consegui comer um pouco pelo menos e não sentir absolutamente nada demais. Porém basicamente até hoje, foram poucas as vezes que consegui comer uma grande quantidade ou uma merda inteira, normalmente só como uma parte ou metade. Pensando nisso, decidi começar a treinar meu próprio organismo a se acostumar com o contato frequente com merda, e assim ter o sistema imunológico fortalecido evitando alguma infecção intestinal pelo excesso de merda no estômago. Pois um dos meus objetivos de scateiro é ser comedor habitual de merda, a quantidade que eu quiser, e se possível dia sim e dia não. Sério mesmo! Quero tornar a merda parte regular da minha dieta.

                Então comecei mudando minha dieta, dando prioridade a alimentos com fibras que fazem a merda ser consistente e inteira. Diminui o consumo de gordura e açúcar, e passei a comer mais carne, frango, macarrão integral e ovo, que aumenta a massa da merda me fazendo cagar mais. Ótimo, a merda já estava mais saudável, agora falta o corpo passar a se acostumar a ela. Como eu não moro sozinho e nem sempre consigo marcar com outros caras pra fazer, ficaria naquela periodicidade de “uma vez em nunca”, assim eu nunca ia me acostumar. Foi aí que criei uma nova estratégia, em prática desde novembro do ano passado. Criei o que eu chamo pra mim mesmo de “porção diária de merda nutricional”. O que vem a ser isso? Todos os dias (na verdade quase todos, alguns dias eu pulava por char que não tinha me alimentado bem no dia anterior ou pro ter tomado algum medicamento) na solidão que é a hora de cagar, quando me tranco no banheiro, tiro um pedacinho da merda, tipo do tamanho de um dedo e mastigo  mandando pra dentro. Com isso, além de ter me habituado ao sabor, não sinto mais nenhum tipo de ânsia na hora de engolir, sinto que mantenho meu corpo estimulado a sempre estar preparado para as bactérias e o mantendo forte, fora o tesão que é estar comendo aquela merda gostosa todos os dias. Sigo treinando, já estamos em abril e ainda estou firme e forte nessa estratégia e o tesão pela merda não diminui, pelo contrário só aumentou. Como é bom poder ter merda na dieta todos os dias, eu tenho e me sinto até mais feliz e mais disposto disso, mais o apetite sexual, etc.

Algumas pessoas dizem que comida é afrodisíaco, pode até não ser, mas eu não tenho dúvidas que a merda é!

 Autor Amigo Clique aqui para ter acesso a todo conteúdo produzido por Autores Amigos.

2 comentários: