| DICA!: Comece a acessar como: QueroScat.com


quinta-feira, 25 de outubro de 2018

Chuva Marrom: O Sexo com Cocô, Merda, Mijo e Peido. (Fetiche SCAT)

Matéria criada pelo blog QueroScat



sexo com cocô e chuva dourada

chuva marromO Sexo é uma das coisas mais gostosas que existem, mas nem sempre é tão fácil de entender as vontades, fetiches e fantasias sexuais diferentes que existem por aí.
Normalmente os “scaters” passam por um longo período de auto-aceitação, para enfim entenderem que sentem o tesão propriamente dito em cocô.

Coprofilia
 – também conhecida pela palavra SCAT (Scatology)
nada mais é do que a excitação sexual com excrementos.
(merda, peido, mijo, cuspe e afins). Sendo assim, “scaters” os adeptos a prática. 


O Sexo sujo e o mundo Scat Porn.


Gustavo,  24 anos, bissexual. 
Criador, autor e produtor de conteúdo do blog QUEROSCAT.

garoto gosta de sexo com cocô
Gustavo é criador do blog QueroScat e mora na cidade de São Paulo.

“Dentre varias pesquisas que fiz sobre o tema, muitas delas mencionam a infância
como a principal aliada para a formação de fetiches.

Era 2007 e eu já tinha lá meus 13 anos de idade, quando surgiu o clássico vídeo 2 girls 1 cup.
O divisor de águas na minha vida. Este é um vídeo pornô onde uma mulher da uma bela cagada em um copo e fica se deliciando com a merda na boca, mastigando e beijando a outra garota com a bosta.

Na época ele se tornou um viral, e um amigo meu comentou sobre o tal vídeo bizarro.
Confesso que não foi amor a primeira vista - inclusive pela parte do vômito, não curto.
– Mas a curiosidade e o tesão me despertaram algo muito além do nojo.

Foi a partir desse vídeo que conheci de verdade o que era o Fetiche Scat.
Anos depois
 descobri os significados dos fetiches e suas siglas,
a difícil batalha de achar conteúdo com qualidade, se masturbar e conhecer o próprio corpo incluindo scat, experimentar o gosto do cocô pela primeira vez (e sentir culpa depois), criar um perfil fake no Tinder para intermináveis (e quase impossíveis) buscas por parceiras, e enfim.
 Tudo um pouco frustrante e confuso, por parecer estar sozinho neste mundo.

Scat não é popular.
Scat na verdade é um fetiche escondido, onde a sociedade nem comenta sobre, e se comentar 90% das vezes é pra julgar e falar mal.
É um fetiche tabu absurdo, talvez o maior deles.  Eu não sou hipócrita de falar que é algo normal e cotidiano, por que não é. Mas eu não ligo pra isso, de verdade.
Pra mim é como se eu pudesse aproveitar o sexo ao extremo.
Eu amo fazer sexo oral e a sensação de receber uma mijada na boca essa hora, é como se
“transborda-se buceta”. Posso sentir o gosto e sua temperatura literalmente escorrendo e envolvendo ainda mais. É apenas isso. Mais simples do que se possa imaginar.
 E pra esclarecer esses e outros temas, resolvi criar o blog QueroScat”. Completa Gustavo.

pessoas gostam de xixi na boca

Renan Ryuji, 30 anos, gay.
Comecei a me interessar pelo assunto vendo vídeos pela internet, primeiramente tendo contato não intencional com um site sobre o tema, e mais tarde os buscando voluntariamente por perceber que de alguma forma aquilo me excitava demais.

Por se tratar de algo dito nojento e repulsivo pela grande maioria das pessoas, achava que eu tinha ficado louco ao passar a gostar daquilo, e sentia muito culpa sempre que eu me masturbava vendo vídeos ou brincando com meu próprio cocô. Porém depois de alguns anos fui entendendo que não era nada tão anormal,mas apenas incomum. Fui me deixando levar pelo tesão e deixando de lado o peso na consciência.

Acredito que o tesão se concentre em alguns pontos em específico :
a) algo que a maioria das pessoas tem repulsa nos vira um objeto de prazer diferente pela descoberta de apreciar o que foi rejeitado pelo outro, o mistério de descobrir o que é esse novo objeto;
b)o ato de ir banheiro fazer o nº2, por exemplo, é sempre feito sozinho e dentro de uma total privacidade, não costumamos nem anunciar abertamente que vamos cagar e nem comentar depois, é sempre algo muito secreto, e poder ver a outra pessoa durante esse ato e dividir esse momento de mistério talvez instigue o prazer e o tesão;
 c)os odores também acho que provoquem os sentidos e potencializam o desejo, a maioria dos scaters tem um grande prazer por estes cheiros talvez pelo mesmo motivo do primeiro ponto citado, o desconhecido daquilo que normalmente é recusado”.
Conclui Renan, produtor de conteúdo e redator do blog QUEROSCAT.

CP, 25 anos, heterossexual. 
Também produtor de conteúdo e redator do blog:

“Muita gente quando ouve sobre esses fetiches acredita que nós somos pessoas nojentas, sujas e que não se importam com a saúde. Só que na maioria das vezes isso é totalmente o contrário. Quem possui esses fetiches são pessoas normais, que tem cuidado com a higiene pessoal, andam normalmente por aí, vivem em sociedade, tem amigos, trabalho e relacionamentos.
Meu fetiche principal é por peidos, e meu primeiro contato também foi através da pornografia quando eu tinha uns 14 anos. Acabei assistindo um vídeo que uma mulher peidava na frente e diretamente para um garoto. Em vez de sentir repulsa, eu fiquei bem excitado e não consegui entender direito o porquê gostei daquilo. 

mulher peidando na hora do sexo
A partir daí passei a pesquisar mais sobre o tema, descobri que o termo em inglês era fart (peido) e conheci a chuva dourada (mijo) e o scat (merda), pois muitos lugares mostram a mulher peidando apenas como o anúncio do que vem depois.

O anonimato me ajudou a ir atrás de mulheres para praticar isso no mundo real,
pois como de esperado fui chamado de todos os adjetivos para loucura por quem não gostava e não entendia. Só que em meio a tanto estranhamento, outras já se sentem à vontade em peidar no dia a dia e acham interessante poder fazer isso para alguém.

Foi então que percebi que o meu fetiche era pela intimidade e pela sensação de liberdade que as garotas tinham em poder fazer isso na minha frente sem nenhuma pressão social ou julgamento. Elas estariam sendo elas mesmas e eu ainda iria gostar e ficar excitado pelo que elas eram em seu momento mais íntimo e verdadeiro. Assim, topavam fazer e viam que esse, apesar de totalmente fora do convencional, era um fetiche libertador e muito excitante devido à quebra do tabu”. Afirma CP.

logotipo de sexo com fezes

Renan diz que “Ainda que seja muito prazeroso o scat, é preciso ter em mente que a prática envolvendo rejeitos da digestão deve levar em considerações algumas questões de saúdes, em especial os que são eaters (que comem cocô): é interessante estar sempre com as doses de medicamentos antiparasitários em dia, visitando médicos regularmente para que eles os receitem (não aconselho a automedicação).

Mesmo com tudo isso, é claro que ainda há certos riscos, estamos falando de cocô afinal, então ainda vai pesar mesmo o bom senso e reconhecer o limite do seu corpo.
É óbvio que cada corpo e cada caso é diferente, então quem deseja se aventurar nessa parte mais hardcore do scat, acredito que deva fazer literalmente por partes (ou seria melhor pedaços?)  até você entender como seu corpo reage, e claro respeitando o seu limite e o limite do outro”.


tudo sobre chuvam marrom
QueroScat.blogspot.com.br
Como criador do QueroScat, 
Gustavo acredita que o blog foi feito pra unir pessoas de todas as orientações sexuais, adeptos ao Fetiche Scat e afins, como também uni-los para debates com curiosos (do bem). 
“O blog é um verdadeiro ponto de encontro dessas pessoas tão carentes de conteúdo, informações, experiências sobre o tema e claro, um bom pornô. Inclusive estamos em busca de uma mulher que queira fazer parte da equipe, sendo adepta ao fetiche, para poder escrever também sobre o assunto”.  Diz Gustavo Scat.


 CP ainda diz: “A maior mensagem que gostaríamos de passar é que sendo seguro, consensual, prazeroso e dentro da lei, todas as práticas são válidas. Pois não há nada pior do que viver sexualmente reprimido”.

Pra finalizar, uma mensagem de uma garota que escreveu para o QueroScat
Imagine acordar amanhã e descobrir que ao invés de cagar cocô está cagando açaí?
O cheiro seria bom. O gosto, também. E aí, será que você não comeria? Eu sim, tranquilamente. A questão é que todo mundo peida, caga e mija. Será que isso deveria ser um tabu tão grande? Eu achei interessantíssimo. O que realmente me chocou foi descobrir que também existem pessoas que julgam esse tipo de fetiche como errado, sujo e proibido. Errado é não ser feliz”.


Estamos sempre para diálogo e gostaríamos muito que pessoas que sempre gostaram e tiveram vergonha de assumir, ou que estejam curiosas sobre o tema, venham falar com a gente para tirar suas dúvidas no blog, compartilhar suas experiências e expor suas opiniões.

Contato com a equipe: tavolinder@hotmail.com


** Esta matéria também foi reproduzida pelo site Sweetlicious. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário