| DICA!: Comece a acessar como: QueroScat.com


quinta-feira, 6 de junho de 2019

Conto: Bebendo mijo na viagem de ônibus.

bebendo mijo na viajem de onibus
Retirado do site: casadoscontos.com
Escrito por:  rickss.BA

Estávamos eu e minha namorada em uma viagem de ônibus que duraria cerca de 7 horas, de Salvador para Ilhéus.

Para a nossa sorte, o ônibus era bem confortável e não estava muito cheio. Minha namorada estava só com um vestidinho, com uma calcinha curtinha.

Aproveitávamos bem a viagem, ficávamos nos pegando ali, uma mãozinha boba aqui e ali, e ela sempre me provocando. Ela adorava enfiar o dedo na buceta e passar na minha boca ou meu nariz, sempre falando para eu sentir o cheiro ou o gosto. Adorava lamber aquele dedo de buceta!

Ela bebia muita água e sempre ia ao banheiro diversas vezes nas paradas do ônibus, pois não havia um banheiro nele.

Na última parada o motorista avisou que iríamos viajar por mais três horas todos deveriam comer ou ir ao banheiro antes, pois não haveria parada. Minha namorada não estava com vontade e por isso apenas paramos para comer e beber.

Eu estava cochilando, quando ela me acorda agoniada:

- Rick, to apertada pra fazer xixi , será que vai demorar muito para chegar?

- Ihh Sáh, vai demorar sim, o ônibus só vai parar daqui a duas horas...

- O quê? Eu não vou aguentar não, estou muito apertada! Tem alguma garrafa aí, algum pote?

- Não tem nenhum pote aqui para você mijar, mas eu posso dar um jeito...

- Ah meu Deus! O quê? Que jeito?

- Você pode mijar aqui na minha boca...

(dando uma risadinha safada ela respondeu)

- Tá louco? Alguém pode acabar vendo e também minha xoxota tá mijada de antes, não vou deixar você pôr a boca aqui...

Foi depois disso que comecei a insistir, pedia para que ela mijasse na minha boca, pois ao mesmo tempo queria a buceta dela do jeito que estava.

Ainda estava anoitecendo e como não havia ninguém do nosso lado, saí do meu lugar e fui para a frente dela, abaixei e fiquei de joelhos.

Ela só fazia rir e falar o quanto eu era louco. Fui chegando perto e afastando as pernas dela para cada lado. Fui afastando a calcinha dela e chegando perto com o rosto, já sentia aquele cheirinho gostoso daquela buceta.

Mal fui me posicionando, ela veio empurrando minha cabeça para mais perto e fala: Bebe tudinho então! Não deixa cair nada...Encaixei minha boca e ela foi fechando os olhinhos, começando a se aliviar.

Ela começou a mijar na minha boca, saiam jatos finos e leves que logo foram engrossando e aumentando a força. Era gostoso ouvir aquele som do xixi caindo na minha boca. Ela deu uma rápida parada e pediu para abafar mais a buceta com a boca, ainda estava receosa de alguém ouvir o barulhinho do xixi.

Posicionei melhor a boca na buceta dela, respirei forte e falei: Mija com tudo agora!

Ela, sem qualquer tipo de pena ou controle, começou a mijar mais forte que antes. Eu estava quase para engasgar, tive que engolir o mijo bem rápido para não deixar cair também, ainda sim escorreu um pouco no meu queixo.

Ela então parou um pouco e eu aproveitei para respirar. Porém, ela ainda queria mijar mais! E foi dizendo: Não acabou não, coloca a boca aí de novo que tem mais um pouquinho...

Ao encostar a boca mais uma vez, passo a língua na buceta dela antes, só para dar uma enxugadinha e não respingar no banco. Ela então foi soltando mais xixi...

O xixi estava ficando fraquinho e eu podia engolir mais devagar, logo percebi que estava terminando.

Foi nessa hora que eu aproveitei e comecei a sugar a buceta dela. Foi uma sensação inexplicável! Eu Sugava a buceta dela e bebia seu mijo. Nisso ela olha pra mim com uma expressão cheia de tesão e fala, baixinho e abafado para mim: CA-RA-LHO....

Quando então o xixi terminou. Tirei a boca da buceta dela, olhei para ela e sorri. Antes dela pensar em ajeitar a calcinha, cheguei perto de novo, abri a buceta dela e lambi debaixo para cima, bem devagar e pressionando a língua.

Eu queria aproveitar aquele momento para sentir aquela buceta mijada e molhadinha. O gosto e o cheiro dela eram incríveis!

Fui me preparando para levantar e nessa hora ela segurou minha cabeça e pediu baixinho pra mim: Chupa mais um pouquinho, vai...

Não aguentei e comecei a chupar mais! Eu enfiava a língua dentro da buceta e com ela trazia o melzinho até o clitóris. Lambi sua virilha e até passei a língua em seus pelinhos que estavam.

Minha boca, bochechas e meu queixo já estava todo lambuzado daquela mistura de xixi com o melzinho da buceta dela, e eu não queria parar de chupar!

Apertei a alavanca para inclinar mais o banco, ela se ajeitou e então eu puxei suas pernas para frente, me inclinando para que minha língua pudesse alcançar o seu cuzinho também.

Ela havia se molhado tanto ali embaixo que o mel foi até para o cuzinho, que eu aproveitei e lambi muito! Rodeava ele com a língua, massageava e voltava a chupar a buceta.

Tudo o que eu queria naquele momento era matar a minha sede dela, por isso eu sentia cada pedaço, gosto e cheiro daquela buceta gostosa.

Chegou uma hora que ela empurrou a minha cabeça contra a sua buceta e começou a esfregar forte. Eu respirava rápido para não perder o fôlego. Nesse momento ela acabou dando alguns chutes sem querer na cadeira e, ao olhar para ela vi que estava abafando a boca, fechando os olhos e abafando um gemido.

Foi então que ela ficou amolecida, parou de segurar minha cabeça, suspirou e me olhando com uma cara bem safada sussurrou: gozei...

A buceta dela estava mais meladinha ainda. Foi então que que havia chegado a hora de seca-la. Fui passando a língua nos cantinhos, depois tirei e fiquei lambendo de cima para baixo. Lambendo e bebendo aquele gozo salgadinho misturado com mijo. Fui dando umas sugadinhas e passando a língua, quando ficou bem sequinha. Parei e dei um beijo na buceta dela.

Sorri, limpei minha boca e meu queixo esfregando na calcinha dela e voltei para minha poltrona, realizado por beber o seu mijo, chupar a buceta dela, levar uma gozada na boca e ainda enxugar.

Depois disso passamos a viagem rindo e conversando sobre a loucura que fizemos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário