img-responsiva

DICA!: Novidades do blog pelo twitter: @ScatGustavo

sexta-feira, 15 de janeiro de 2021

Conto: Minha namorada porquinha me fez experimentar seu xixi e cocô.

Retirado do site: casadoscontos.com
Escrito por: paulopee

Eu e Alexandra, minha namora, uma linda morena de pele clara e cabelos negros ondulados já estamos juntos a algum tempo e já estamos muito acostumados a incluir um pouco de chuva dourada para apimentar ainda mais nosso relacionamento. No mês passado experimentamos algo diferente em uma viagem de férias onde ficamos uma semana em Santa Catarina.

Chegamos em casa, escovamos os dentes e nos dirigimos exaustos pra cama dormir. No meio da madrugada fui acordado por Alexandra que cochichou no meu ouvido: Acorda, quero fazer xixi.... Acordei e imaginei que ela queria que eu a levasse até o banheiro e disse, ainda meio dormindo - vamos, eu te levo. Não , quero fazer aqui, disse ela. Você não gosta do meu xixi??? Quero fazer na tua boca, vai ter que tomar tudinho... Uauh... Fiquei assustado e curioso, pois já havia bebido seu xixi e gostei muito, mas sempre eram só uns goles, e não um xixi todo, como ela queria. Vamos, to apertada! disse ela se virando e ficando por cima de mim, como se fossemos fazer um 69.

Ela tirou a calcinha e colocou aquela buceta cheirosa e molhadinha na minha boca. Antes que eu mudasse de ideia, ela pegou meu pau, que já estava bem grande e começou a chupar. - Então, vai querer? Ela perguntou chupando deliciosamente a cabeça do meu pau. Passei a língua lentamente nela e balancei a cabeça concordando. - Ta bom, vou fazer bem devagarinho pra ti beber tudinho, sem molhar os lençóis. Fiquei ali esperando, com sua buceta encaixada perfeitamente na minha boca e meu nariz direto no cuzinho dela, que a um bom tempo eu venho cobiçando comer, mas ela não dava de jeito nenhum. Aproveitei para passar a ponta do nariz e sentir um pouco seu perfume, que era muito leve e agradável. Enquanto me concentrava no cu dela, senti um jato quente direto na minha garganta, que parou logo em seguida. - Vai, engole, da gostozinho. Não tinha mais saída e engoli, realmente esta bom. Logo já senti outro jato, maior e que encheu minha boca, dei um gole, e outro, e outro e foram mais jatos , até que ficou contínuo e eu bebi tudo com grandes goles. Até que parou, fiquei esperando mais pois já estava gostando mesmo, saiu um jatinho final e pronto... Eu havia tomado todo o xixi da minha namorada.

- Viu como foi bom! Agora vou te dar ainda mais prazer. E aumentou os movimento de me chupar até explodir em porra, que ela não perdeu nada e se encarregou de limpar todinho meu pau. Relaxamos satisfeitos, tudo escuro, procurei uma garrafa de água mineral e tomamos uns goles e dormimos intensamente. Uma hora depois acordei com muita vontade de mijar, sai da cama e fui ao banheiro, demorei muito mijando, pois era o meu xixi mais o da Alexandra. Ela nem viu, continuou dormindo satisfeita.

Dia seguinte. Já estava de noite, fazia muito calor e resolvermos sair para comer fora. Paramos pra lanchar em um quiosque e no meio de conversas aleatórias, Alexandra me disse que queria experimentar uma vontade nova, mas que precisaria comer um pouco a mais naquela noite. Estranhei. Eu nunca tinha visto ela comer tanto, com um ar de ansiedade e tesão misturados. Bebemos algumas cervejas e nos divertidos falando bobagens.

Quando chegamos em casa, deitamos para dormir. Novamente na madrugada ela me acorda cochichando que precisa ir ao banheiro, naturalmente já me viro e fico por baixo dela e ela faz um pouco de xixi e para. - Só isso? perguntei. - Hoje tem mais, espera um pouco. e se posicionou um pouco mais pra baixo com seu cuzinho bem na minha boca. Imaginei que ela tinha decidido finalmente me dar o rabinho. -Vai, coloca sua língua ai, me lambe ...ela disse. Fui passando a língua no seu cu e tentando enfiar, senti um cheiro de cocô mais forte que o de antes, mas fiquei ali lambendo ela. Percebi que ela estava fazendo força e que seu cu estava se abrindo, o cheiro de cocô aumentou e senti uma coisa dura começando a sair do seu cu. Será que é cocô, pensei, só pode ser...

- Vai, deixa eu fazer na tua boca que eu te dou tudo que quiser! disse ela antes que confirmasse minha suspeita e saísse fora. - Tudo o que quiser!!!

- Vou adorar! eu falei e fiquei ali pra ver no que ia dar.

Senti seu cu fechar e aquela coisa voltar pra dentro. Passou um tempo e ela voltou a fazer força, senti na língua o cu abrir de novo e aquela coisa, merda, sair mais um pouco. - Vai, põe na tua boca, se não não vale. ela disse e forçou de novo.

Aquele troço começou a sair e o fedor aumentou muito. Encheu minha boca e sobrou um pouco pra fora. Era um coco duro, como salsicha mais grossa, devia ter mais de 10cm de comprimento. Ela parou e disse que estava satisfeita e era só isso. Não sabia o que fazer, ela se virou pra ver a merda na minha boca. O gosto era um pouco amargo com um adocicado no final, o cheiro muito forte. Coloquei lentamente minha mão no cocô e o retirei com cuidado da boca, devia ter um 12 cm de comprimento e era bem duro.

- Deixa eu ver, liga a luz. disse ela. - Olha como ele é bonitinho e cheiroso, marrom escuro, olha!!!. Ela ria e encostava no coco com o dedo indicador. - Vai, coloca na boca e engole pra sua namorada porquinha!

Percebi que não ia aguentar e pedi que não. - Então só um pedacinho?

Ela insistiu e pegou com os dedos um pedaço do tamanho de uma azeitona e colocou na minha boca. - Vai mastiga... Isso foi fácil o problema seria engolir, no meio ela me beijou na boca e pegou um pouco da merda pra ela também. Nos olhamos e... gluch! engolimos junto. Foi até bom, ela particularmente adorou e ficou rindo da minha cara. E agora o que fazer com esse cocozão na minha mão. Fui ao banheiro e o coloquei no vaso, me lavei bem e voltei correndo pra comer aquele cu, pois já tinha feito a minha parte.

2 comentários: