| DICA!: Comece a acessar como: QueroScat.com

quinta-feira, 9 de janeiro de 2020

Guttão da Bagaça: BOSTA, Um fetiche pra poucos!!!

a bagaça do guttão scat
 Autor Parceiro Escrito por Guttão, do site "A Bagaça do Guttão"

Muitos dizem que gostam, outros juram que praticam, mas na verdade são poucos, muito poucos os que realmente se permitem!!!!
A maioria das pessoas criticam ou não entendem esse fetiche tão fedido, mas a grande verdade é que o SCAT é para corajosos, mentes insanas que saem do básico, do óbvio e se permitem.
Não se comovem com o podre... O sujo, e o que a sociedade considera como “descartável” é banquete para os adeptos desse universo polêmico chamado de sexo marrom. 

Durante muito tempo, a ideia de manusear bosta sequer passava pela mente de um cara como eu, que sentia nojo até do meu próprio mijo… Mas o maior legado que um homem pode deixar é a sua vontade incansável de escalar o desconhecido, vencer os seus medos, os seus demônios e experimentar o que se é temido, o não óbvio. 

Foi assim que me permiti adentrar no mundo marrom. Comecei a refletir e descobri que eu desprezava, na verdade, porque no fundo, bem la no fundo, isso me atraía. Sempre me atraiu. Embora nunca eu desse o braço a torcer.

Manter-se na zona de conforto é simples, é comum, é trivial. O grande barato da vida é lançar-se em algo que não se aprecia, que não se domina, e só ai, depois de ter experimentado, dar-se o direito de dizer: “Não gosto, não quero, não curto.”

Não prego que todas as pessoas deveriam praticar scat, muito pelo contrário, até acho e entendo que esse fetiche é um privilégio para poucos. Porém, o que defendo é que existamos como uma sociedade menos retrógrada, e que conheçamos os nossos próprios sabores, nossos próprios aromas, o cheiro, o gosto do que sai dos nossos poros, organismos. Nada é mais sublime que o pleno domínio e conhecimento de tudo que nos permeia, sobretudo nosso excremento. Não se engane, existem muitos por aí (em seu convívio, principalmente) que fedem mais que muito praticante de scat com a boca cheia de bosta. Fedor social, étnico, fedor existencial.

Que mané comida que nada… “Ele gosta é de comer bosta”

sexo com coco

Geral manda email e comenta posts do site querendo saber o que leva uma pessoa a comer cocô. Alguns ficam estarrecidos, outros chocados mas entendem que é um fetiche, “diferente”, mas um fetiche. Mas a grande maioria não consegue entender ou associar o que faz um ser humano sentir prazer em fezes, excrementos, a famosa “bosta”. 

Normalmente quem pratica SCAT, tem tendência ao questionamento da grande hipocrisia social na qual vivemos hoje na sociedade brasileira, onde ditam as normas, o que comemos, o que vestimos, como nos comportamos, o que deve ser consumido ou não. Nosso país, de corruptos, infames, “santos” de caldas enoooormes que se sentam em cima dos próprios rabos, escondendo seus pecados, quando na verdade os dedos estão escancarados pra cara de quem tem a coragem de fazer exatamente o que eles, por baixo dos rabos, tentam abafar, esconder, reprimir… Aí tu da o nome que quiser. 

O fato é que sempre defendo o SCAT, ou o ato de “transar / sentir tesão” manuseando merda, como um fetiche único, diferenciado e que é idolatrado por muitos, mas praticado por muitos poucos. Tem muito nego por aí que diz que gosta, que faz, que acontece, mas basta um peidinho fedorento na fuça do sujeito que ele já sai correndo. O que quero dizer, é que tu não é obrigado a gostar de bosta, mas se permitir é algo que no mínimo te torna um ser humano mais evoluído, sem a tarja escrota que na nossa sociedade tanto defendem, mas que não se vive. Ao meu ver, quem manuseia fezes humanas fede menos que um engravatado com perfume de marca no corpo, mas de mente podre, hormônios necrosados e que vivem em função de usurpar, acusar e esfregar na cara do outro os defeitos que na verdade, quem os têm já os conhece muito bem. 

Então, paremos com essa babaquice de olhar torto esse fetiche. Todo mundo, branco, preto, pobre, rico, burguês, proletário, independente de sua etnia, condição social ou quaisquer outros aspectos têm cocô no rabo, defeca, fede, tem bactérias. Somos todos sujos de nascença. 

Discorda??? Então se liga nesses dados: 
Tu sabia que a boca do ser humano contém mais germes que um cú????? 
Segundo um estudo da BBC, principal canal de notícias dos Estados Unidos, um beijo pode transmitir mais de 80 milhões de bactérias, em apenas 10 segundos. E que a boca humana contém mais de 700 tipos de germes e bactérias. Estudam ainda o chamado Microbioma, um ecossistema de cerca de 100 trilhões de micro-organismos que vivem em nossos corpos. Isso mermo!!! aí, dentro de tu, nesse momento, têm milhares de bichinhos sujos, nojentos, percorrendo seu corpo, doidos pra te consumir inteiro. O que te torna protegido ??? São os chamados anticorpos, que estão presentes pra garantir a sua saúde e sobrevivência. Ou, as células CD-4 (responsáveis pela defesa da sua imunidade). 

Diante desses números, agora me responda: Quem é “um cú” na fila do açougue????? kkkkkkkkkkkkkk. Reflita e tire suas próprias conclusões. 

Não quero que leia isso e saia comendo bosta por aí. Mas sim que passe a respeitar as escolhas, os desejos, as vontades alheias, e que sobretudo não se sinta mais forte, ou menos imune que alguém que transa com cocô. São questões presentes no mundo globalizado e evoluído em que vivemos hoje.

Pense sim em sua saúde, preserve-se, cuide-se, porém não prive-se de experimentar o que se tem vontade, apenas por esse papinho otário de “mídia sensacionalista” em busca de audiência. Prevalece na vida, sempre o bom senso, o esclarecimento, e o mais importante… a chave para qualquer pessoa: “O conhecimento”. É pra isso que estou na net, pra levar a você a informação e a mensagem afirmativa de um prazer considerado tosco, sujo, descartável, mas que permeia a mente de milhares de pessoas, onde, pensam, sentem, desejam, mas não têm-se a coragem para assumir que gosta. 

sexo porco e sujo

Cheire suvaco sujo sim, se te der prazer e vontade, cheireeee!!! Lamba cueca suada, coma cuspe, beba mijo, chupe catarro, mastigue bosta. Prove, saboreie, deguste, vire “freguês” ou… “simplesmente nunca mais prove”. Mas tenha o poder (prazer) da escolha. Isso é democracia.


“A ignorância é o maior dos preconceitos”.

PERMITA-SE!!!!


Texto extraído do blog abagacadoguttao.com.br de autoria de Guttão.
Escrito em junho de 2016 - Todos os direitos reservados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário