img-responsiva

DICA!: Novidades do blog pelo twitter: @ScatGustavo

domingo, 22 de agosto de 2021

Enfim! A primeira vez que fiz scat com alguém e o cara engoliu tudo... Da raiva ao tesão.


por Gustavo Scat.

Minha primeira semana morando em São Paulo Capital. Mais precisamente dois dias depois de ter chegado de mudança na cidade do paraíso dos fetichistas. Isso por que eu morava no interior e eu sabia que seria muito mais fácil encontrar alguém por aqui. 

Na minha segunda noite morando sozinho na cidade grande eu abri o Grindr e fiquei tentando achar alguém interessante que gostasse dos mesmos fetiches que eu. Estava focado procurando alguém que gostasse de scat mas o que eu não sabia é que ele fosse me encontrar.

Seu perfil estava sem foto. Ele me enviou algumas. Rapaz lindo, pele da cor do pecado, fortinho, olhos marcantes. Seu nome estava como "SUB FETICHISTA" ou algo assim. Eu não sou de curtir o bdsm mas entre nossas conversas de putaria ele se mostrava curtir realmente bosta. Ele queria comer, ser minha privada, queria que seu macho alimentasse aquela privada com seus restos. Meus pau já estava melando a cueca de tesão, quando ele me manda uma foto da boca com um pedaço de cocô. Agora eu tinha certeza que ele curtia realmente a coisa.

Chamei ele pra vir no meu apartamento, já que eu estava morando sozinho eu estava confiante, mas ansioso. Nada podia dar errado e ele disse que viria. Depois de me enrolar durante a noite toda... ele não veio. Eu odeio quando alguém marca alguma coisa e fura de ultima hora.

No dia seguinte eu já tinha desanimado desse cara, seria mais um que iria me enrolar e não viria porra nenhuma. Acordei tarde, fui pro shopping comer um KFC (frango empanado) e de lá trocamos uma ideia de novo. Ele queria vir hoje. Na verdade ele queria me enrolar de novo, pensava eu. Eu já não tinha mais paciência e não acreditava mais nele. Não sei se fazia parte do fetiche mas ele queria me provocar. E conseguiu. Ele marcou de vir às 21h e quando deu o horário não me respondeu. Horas depois ele me respondia e sumia, já me fazendo ficar com raiva daquela situação.

- "Calma, você está nervoso comigo. eu vou hoje, fica tranquilo. estou com fome". dizia ele perto da meia noite e meia. O sábado já tinha virado domingo de tanto ele ficar jogando comigo. Ele me fez passar raiva mas era o que ele queria. Bloqueei ele do Grindr depois dele visualizar uma sequencia de mensagens e não responder, e instantes depois ele me chama no whatsapp. 

Falou que viria. E veio.

Ele chegou meio que sem avisar o horário direito, boné pra trás e perfume forte. Subimos para o meu ap e eu sem acreditar fui para o banho enquanto ele me esperava ouvindo música na cama. Ele era gato demais e realmente queria minha merda... uau.

Já era de madrugada e a gente estava morrendo de fome, aí escolhemos um lanche do Burger King pelo aplicativo de entregas. Enquanto a gente comia eu me lembrava que entre nossas conversas ele queria que eu mastigasse a comida e desse pra ele comer. Achei o fetiche bem interessante... nojento, do jeito que eu gosto.

Depois de comer papeamos sobre nossas vidas pessoais e ele me contou que já conhecia o blog e me enviou um e-mail não correspondido. Acho que deve ter caído no lixo eletrônico, talvez. Entre olhares o jogo da raiva que eu senti por ele passou quando nos beijamos. Eu amo beijo, gosto de lamber a boca, gosto de deixar a coisa melada, de ver o cuspe dentro, de passar o dedo, de apertar os lábios e lamber. Sabia que aquela boca seria minha privada e isso me deixava louco. Já imaginava minha bosta lá dentro e provavelmente ele também.

Já morrendo de vontade tirei o pau pra fora e fiz ele me chupar, subi por cima dele e fodia aquela garganta empurrando a cabeça, e na primeira engasgada vi aquele fiozinho de baba que saia da boca dele ou do meu pau, eu não sei. Essa meleca toda é uma delícia.
Ele estava todo perfumado mas eu preferia o cheiro de suor que estava na virilha quando chegou a minha vez de chupar. Mas eu queria passar um tempo fazendo outra coisa...

Pedi pra chupar lá trás e que delícia de ver aquele cu lisinho lindo. Eu fungava procurando o cheiro de cu sujo mas era difícil de sentir. Gostoso mesmo era ficar lambendo lá dentro procurando o que eu mais queria. Sentir o gosto e o cheiro de um cu é o que eu mais gosto de fazer, peguei um dos meus plugs anais, deixei ele meladinho de saliva e ficava brincando de ver o cu engolindo aquilo. Quando eu enfiei meu dedo já podia sentir ele se alargando e o cheirinho ficando cada vez mais forte.

- Peida pra mim vai... e mesmo se você não conseguir peidar quero ver você tentando. 

Eu desejava demais aquele cu fedendo.

Então ele tentou peidar dentro da minha boca mas não conseguiu. Enfiei o plug, deixei aquele cu larguinho e soprei lá dentro. 

- Agora peida vai... 

E eu senti aquela sensação de ar tremendo minha língua pela primeira vez na minha vida.

O melhor de tudo, o ar saiu com aquele aroma gostoso. Como era bom sentir o cheiro do seu peido entrando direto na minha boca e no meu nariz. Brincamos assim algumas vezes, passei um tempinho ali curtindo... eu soprava dentro e ele peidava pra mim, e fedia, mas eu amava. Aí eu peidei na minha mão e coloquei na cara dele pra ele sentir o meu cheiro também. 

A gente estava em cima da cama, eu deitado de lado e ele com o cu empinado na minha cara e a parte do tronco apoiada no chão, praticamente de ponta cabeça.

- Tô passando mau, acho que caiu minha pressão. 

De tanto eu soprar dentro com ele nessa posição as coisas não deram muito certo rsrs 
Aí nos deitamos com ele tonto todo bravinho por pararmos de curtir. 

- Relaxa poxa, tá tudo bem... vou te falar que pra mim não é legal, claro, ver você assim mas mostra como as coisas são reais. Nós não estamos dentro do QueroScat. Eu disse pra ele.

Já deitados pra descansar eu brincava com aquele pau mole que era gostoso demais sentir a textura, a pele, passar a mão em volta daquela cabeça e sentir o cheiro de rola.
Dormimos, eu com a barba cheirando cu e ele com o rosto todo melado de cuspe.


Na manhã seguinte eu admirava aquela bunda e vazia carinho nas suas costas, beijava sua nuca e lambia parte do seu pescoço. Eu queria que ele acordasse logo, queria sentir seu gosto de novo e queria fazer boa parte das coisas que fiquei imaginando antes de dormir. Eu precisava cagar em uma boca pela primeira vez e seria a dele.
Ele acordou com o carinho e me chupou. E pra voltar com todo aquele tesão que estávamos horas antes de pegar no sono, eu lambia mais uma vez aquela boca dizendo que ela seria minha privada e iria engolir apenas o que saísse de mim - como ele pedia nas nossas conversas. Trocamos muito cuspe enquanto falávamos besteiras e eu enfiava meus dedos dentro daquela boca pra deixar tudo mais sujo. 

Desci pra chupar seu cu, lambia com vontade lá dentro e finalmente consegui o que eu queria. Meu dedo estava levemente sujo de bosta e pela primeira vez não era a minha. Era um cheiro tão gostoso que então eu provei. Amarguinha e docinha, era gosto de bosta. Eu queria que ele sentisse o mesmo e enfiei meu dedo na boca dele só pra provar a própria merda... e que delícia que foi realizar o sonho de beijar alguém com esse gostinho. Caralho, que tesão...! Eu beijei com gosto de merda na boca!

- Agora chupa meu cu vai... Eu pedi pensado em alimentar minha privada.

Deitei de barriga pra cima, ele levantou minhas pernas e chupava com vontade, passava a língua na borda e lá dentro, metia o dedo dentro de mim puxando com a esperança de sair...

- Vamos pro banheiro pra não sujar tudo aqui haha 

Eu falei.

E a primeira coisa que fizemos foi regular a água de uma maneira bem quentinha, pedi pra ele se ajoelhar mas ele se deitou dentro do box do banheiro, eu agachei e forcei meu cu na boca dele. 
Sim, o momento chegou pra mim e pra ele, de soltar tudo o que havia dentro de mim naquela boquinha. Tinha pouco, eu não conseguia sentir se realmente estava saindo por que ele estava com a boca grudada em mim.

- Saiu alguma coisa?

- Saiu!

Ele chupou mais um pouco me lubrificando e enfiando o dedo em mim, tirando e me mostrando aquilo tudo sujo de merda.

- Nem vem, é meu! 

Colocando o dedo na boca como se fosse o mais delicioso chocolate.

Caralho, eu não estava acreditando que aquilo tudo estava realmente acontecendo, parecia um sonho, sei lá, eu esperei tanto por isso e foi tão gostoso como eu imaginava...

Beijei sua boca e senti meu gosto, sempre com muito cuspe. Sua língua estava levemente marrom, isso por que ele havia engolido tudo como prometeu. O gosto era delicioso. Minha merda era uma delícia e sua boca também. Estava quentinha, melada e fedendo. Que gostoso.

- Eu posso pegar o chuveirinho?
Fui.

Comprei naquela minha primeira semana em São Paulo um chuveirinho de fazer a chuca. Eu já amava a sensação de encher meu cu com a água morninha do chuveiro e ele me disse que nunca havia experimentado. 

- A sensação é entranha mesmo no começo, mas é gostoso sentir enchendo por dentro com o quentinho. Eu vou enfiar, você segura e depois solta pra mim.

Ele empinou o cu, e depois de algumas tentativas eu enfiei o chuveirinho dentro dele. E ele fez certinho segurando um tanto de água dentro.

- Gostou?

- É quentinho. Ele me falava com tesão.

Esguichando a água pra fora eu podia brincar mais um pouco com aquele cu e fizemos isso por algumas vezes. A nojeira de sair água de dentro dele me excitava. Não saia bosta, mas era gostoso imaginar.
Então eu fiz o mesmo, já acostumado enfiei o chuveirinho dentro de mim e soltava no peito dele.

Tentei penetrar seu cuzinho mas por causa da água era difícil a lubrificação, então rocei meu pau naquela bunda e naquele cu, simulando uma foda gostosa de baixo do chuveiro pela manhã com todo aquele cheiro de merda dentro do banheiro.

Eu falava muita putaria suja enquanto punhetávamos juntos, roçando um pau no outro e admirando aquela masturbação. 

- Da próxima vez eu vou acumular bosta pra você. Quero ver meu pau todo cheio de merda e você chupando. Quero enfiar minha bosta dentro do seu cu... você gosta né?  Imagina meu pau todo melado e você chupando, sentindo o gosto do meu cocô. 

Ele fazia cara de tesão e me beijava enquanto curtia a putaria.

- Vou gozar... Ele disse baixinho.

Então eu agachei e chupei. Sua porra era salgada. Cuspi esperma naquele pau que já estava sensível de gozar. 

Depois de nos beijarmos ainda mais, lá estávamos nós punhetando e falando putaria de novo. Ele gozou mais uma vez, agora de frente pro meu pau.

- Eu nunca tinha gozado duas vezes assim.

E eu nunca tinha recebido peido na boca e nunca tinha cagado em alguém também, pensava. Era gostoso demais haha

Terminamos o nosso banho. 

Eu não gozei dessa vez, demoro um pouco mesmo mas isso não importa nem um pouco pra mim. Eu amei a experiência toda e só ficava tentando acreditar naquilo tudo enquanto me secava e arrumava o banheiro, ainda com gosto de merda que eu nem sabia mais se era dele ou minha. Ele era gostoso, o momento foi inesquecível e deixamos algumas pendencias pra outra hora como mijar na boca dele...

Fica pra próxima.

Escrevo esse texto passando o dedo no cu e cheirando, imaginando que aquela boca deve estar ainda com o mesmo cheiro.


6 comentários:

  1. Adoreeei a história! Quando foi isso?

    Adoro essas histórias de experiências

    ResponderExcluir
  2. relato maravilhoso!!

    e por falar em e-mail, te mandei alguns umas semanas atrás kkk

    ResponderExcluir
  3. sou sortudo ne?!😁 🥰 só faltou a parte da comida 🤪 mas outro dia tentamos ne gustavo

    ResponderExcluir