img-responsiva

DICA!: Novidades do blog pelo twitter: @ScatGustavo

terça-feira, 14 de setembro de 2021

Relato: Dedada meladinha no quarto do Víni.


por Gustavo Scat.

14 de setembro. 

Eu não imaginava transar hoje. Tinha me acabado de punhetar com bosta no dia anterior e exagerei no enema (risos) e por isso hoje eu estava mais quietinho na minha. Vi que um dos meus contatinhos estava online no Grindr, o aplicativo que eu fico curiando pra achar achar alguém que curta uma porquice por São Paulo.
O contatinho era gato. Muito. Vou chama-lo de Víni (nome fictício). Ele tinha o cabelo bem raspadinho, era mais baixo que eu, barba rala e me lembrava bastante o Zac Efron da Época de 2007, por aí kkk

Eu não achei que fosse rolar porque bastante gente de aplicativos fica só no papo. 

Chamei, trocamos uma ideia rápida - eu já sabia o que ele gostava pelas nossas conversas anteriores. Ele curtia cheirão, cecê, chulé, mijo… dizia que não curtia scat mas dependendo rolava.  
Por volta de meia noite e pouco Víni me chamou pra ir pra lá, e depois de quase negar pela exagerada de ontem peguei o uber e fui.

Ele me esperava na porta e nos beijamos. De verdade? Acho que um dos caras mais gatos que já peguei até hoje. Se não o mais. Fomos até o seu quarto e ele colocou uma luz vermelha pra gente (amo). 

- Também coloquei algumas músicas e deixei a tv pra passar uma série, não sei o que você curte. 

Fofo. Gato. E safado… hehe

Ele estava usando uma calça branca (como havia me mostrado em foto enquanto eu estava no uber) e de camisa social. Acho que era a roupa do trabalho. Deitamos, trocamos umas ideias e nos beijamos mais. Cuspe pra começar a ficar tudo meladinho como eu gosto. Ele juntava e passava pra minha boca enquanto eu apertava aqueles lábios e lambia aquela saliva quente. Delícia aquilo.

- Faz o que quiser comigo. 
Ele disse.

Combinamos que eu iria passar um tempo brincando com aquele cu, algo mais leve. Mas aquilo iria virar uma dedada gostosinha demais...
Depois de fazer o Víni sentir o cheiro da minha axila e eu chupar e sentir o cheirinho do seu pau, ele me pediu pra sentir a língua no rabo dele. E que rabo gostoso, redondinho, que enquanto me beijava na boca pedi pra passar o dedo no cu pra eu sentir. Cheiro de cuzinho suado, azedinho. Não estava tanto mas estava tão gostoso...

Logo ele ficou de bruços e eu comecei a chupar seu buraquinho, estava com poucos pelinhos em volta e eu cheirei cada parte. Era delicioso. Lambia e cheirava aquele cuzinho com vontade e quando enfiei a língua dentro senti o azedinho, gosto característico de cu sujo hahahaha Como aquilo era bom...
Enfiei o dedo com tranquilidade e senti um pedacinho de bosta na portinha. Dava pra sentir a textura e os pedacinhos dentro dele…

- Caralho….. tá com bosta dentro!
- Eu sabia que você ia gostar.
Ele me dizia com a cabeça deitada no travesseiro sentindo eu ficar amassando aquele pedaço da merda com o dedo.

Aos poucos aquele cuzinho começou a alargar e eu enfiei o segundo dedo. O primeiro saia sujinho e sua bosta tinha um cheiro bem característico. Que cheiro gostoso aquele homem tem. Dedando com os dois dedos comecei a sentir aquele merda virar água, estava bem mole dentro e a gente conseguia ouvir o barulhinho enquanto falávamos putaria.

- Tá sentindo melando todo o meu dedo? Olha como seu cu tá largo ó…
Eu estava delirando sentindo suas entranhas abrirem. 

- Que dedada gostosa… 
Víni me falava com tesão.

Cara, eu podia passar horas fazendo aquilo. 

- Esmaga meus dedos com o cu e depois relaxa… 
Porra, nada melhor do que sentir um cu largo bem melado.

Minha mão estava lambuzada.

Depois tirei e apoiei a mão na sua bunda pra não sujar a cama e comecei a lamber aquele cara gostoso que tinha o cheiro bem leve de suor, seu cabelo estava cheiroso, sua bunda cheirava merda, e com aquela mistura de aromas o que eu queria mesmo era lamber aquele homem todo.
Passava a língua atrás da sua nuca e quando já estava bem melada de cuspe, encostava meu rosto pra sentir e cheirava cada parte que eu lambia.  

Quando cheguei na orelha falei baixinho.

- Imagina que minha língua é meu dedo, e que essa parte bem aqui (lambi a pontinha da orelha, aquela que geral coloca brinco). Imagina que essa partezinha é sua bosta, e agora escuta o mesmo barulhinho que estava fazendo…

Então comecei a chupar e lamber o lóbulo daquela orelha simulando a dedada naquele cocô que estava escondido dentro do cu, fazendo o mesmo barulho de melado que a gente tinha escutado.

- Agora você vai ter que fazer o mesmo com o outro lado pra ele não ficar com ciúmes. rs
Ele me dizia com tesão se arrepiando todo.

Lambi seu ombro, sua nuca, suas orelhas, suas costas, estava um bom tempo dando um banho de língua como ele me pediu, sempre cheirando cada parte e passando o rosto pra sentir seu calor grudando com seu suor e minha saliva.
Víni me pediu pra chupar seu cu mais uma vez. Já estava seco e lá fui eu deixar ele molhado de novo. Pouco depois de lamber de novo aquele cu que tinha melado toda a minha mão, Víni respirou fundo e gozou. 

Ele pegou um cigarro e antes de ir pra janela fumar, lambi sua porra que estava na barriga e passei o resto em mim pra sentir seu esperma no meu pau. Tudo melado, como foi desde o inicio.

Aí fomos pro banho e quando ele saiu do box pra mijar no vaso, pedi pra ele fazer na minha boca. Ele se concentrou e soltou um jatinho que logo parou com a mamada que eu dei fazendo seu pau ficar duro de novo na minha boca com gosto de mijo fresco. Disse que ia gozar de novo e fez, punhetando assistindo escorrer o mijo e a porra que ele tinha acabado de me dar.

Nos lavamos, trocamos uma breve ideia sobre nossa vida e então pedi o uber, nessa madrugada de terça-feira por volta das três da manhã, já que ele iria acordar cedo pra trabalhar.

Termino de escrever esse texto já no meu apartamento poucas horas depois, cagando e cheirando os dois dedos que dedaram aquele cu e que ainda têm o seu cheiro.

Um comentário:

  1. Dedo com cheiro de merda dá um puta tesão. Mesmo depois de lavar, ele fica no dedo.

    ResponderExcluir