img-responsiva

DICA!: Novidades do blog pelo twitter: @ScatGustavo

quinta-feira, 19 de maio de 2022

As minhas 50 primeiras experiências sexuais em São Paulo. - com merda e afins.


por Gustavo Scat.

Morar no interior era foda. Sexo envolvendo cuspe, mijo, peido e merda pareciam vontades muito distantes - pra não dizer impossíveis.
Mas quando eu me mudei pra São Paulo capital meus desejos começaram a ser realizados com outras pessoas. A cidade grande é o paraíso para os fetichistas. Muitas gente, muita gente diferente, muita gente com tesão e muita gente ligando o foda-se de cabeça aberta pras novidades.

Antes eu só fazia scat comigo mesmo. Mas agora eu vou contar pra vocês o que eu lembro das minhas cinquenta primeiras experiências sexuais que comecei a praticar sexo scat e afins, morando sozinho na cidade de São Paulo.

★ = Experiência muito boa.


Um bônus: ★ Minha primeira transa envolvendo cuspe e mijo com outra pessoa. 
Essa lembrança é um extra e vale a pena comentar por que eu não morava em São Paulo nessa época, foi uma experiência que eu vivi muito antes das seguintes, mas foi a primeira vez na minha vida que fiz qualquer coisa relacionada a escatologia.
Aconteceu com uma garota que nos conhecemos no Tinder e trocamos uma ideia durante uns dias antes de realmente transarmos. Eu estava com muita vergonha, lembro que tomei viagra pra rolar penetração e a única coisa que ela realmente curtia era cuspe. Trocamos cuspe nos beijos pouco antes de rolar minha primeira experiência com Golden Shower. Foi dentro do box do banheiro dela, eu me agachei e ela mijou na minha boca. O quentinho e o gosto eram muito parecidos com o do meu mijo - que eu já curtia muito - então foi a partir daí que eu tive a certeza que gostava daquilo com outras pessoas também. 
(para ler este relato em detalhes clique AQUI)


1:  Minha primeira transa envolvendo merda e peidos com outra pessoa. 
Conheci um cara no Grindr (que é o APP onde conheci a maioria - talvez todos - os caras que eu vou contar nessa lista). Ele era bem gato e fortinho. Lembro que foi um porre pra gente conseguir fazer, seria minha primeira vez fazendo scat com outra pessoa e eu estava muito ansioso, acho que sabendo disso ele me enrolou no dia. Mas valeu a pena. Caguei pela primeira vez na boca de uma pessoa, foi bem pouquinho mas lembro dele enfiando o dedo pra pegar mais e me mostrando o quanto ele curtia. Lembro também dele empinando o rabo pra eu soprar dentro e ele soltar peidando na minha boca, só que no fim a pressão dele caiu de tanto que eu soprei dentro do cu dele kkk 
(para ler este relato em detalhes clique AQUI)

2: O cara chegou em casa e era bem diferente das fotos. Uma aparência mais velha, de cabelos um pouco grisalhos mas tinha lá os seus 30 e poucos, um cheiro de bebida alcoólica e seu pau e sua axila fediam. Aí descobri que meu lance com cheiros era só comigo mesmo, talvez eu não curtisse tanto o fedor dos outros ou pela decepção toda, aquilo me deu uma broxada. Curtimos umas mijadas e eu tentei fistar aquele cu que coube uns 4 dedos.

3: Um dos caras mais bonitos que peguei. Ele tinha a aparência do Zac Efron da época de 2008. Era madrugada e ele me chamou pra ir na casa dele. Lembro que o quarto estava iluminado com uma lâmpada vermelha e fiquei dedando aquele cu que estava um pouco cheio de merda mais mole. O cheiro não era tão bom, e depois dele gozar com as dedas mijou na minha boca e gozou. Primeira vez que senti gosto de porra direto da fonte. Era salgado. Na época não curti não.
(para ler este relato em detalhes clique AQUI)

4: ★ Uma experiência curiosa por que era o jeitinho que eu gosto.. esse jeito mais moleque mesmo, meio broderagem e bonézinho pra trás. Nosso papo inicial era como se fossemos amigos safados e ele tinha uma tara ENORME por pés. Eu nunca tinha feito esse fetiche antes, mas ele chupou, lambeu e adorou tanto meus dedos e minha sola do pé que eu curti demais a experiência. Pena que não estava com chulé como ele queria. Quando ele estava indo embora, da maneira mais safada, ele esfregou meu cu na máscara que ele estava usando por causa da pandemia e foi embora para um outro rolê sentindo o meu cheiro direto no seu nariz.
(para ler este relato em detalhes clique AQUI)

5: A pior experiência de todas dessa lista. Uma cara que agitou pra caralho no app que estava com fome de merda, que era tarado nisso e aquilo e que queria engolir tudo direto da fonte. Chegando em casa ele abriu uns pornôs pra assistir e continuou vendo enquanto metia a língua no meu cu, que logo nas primeiras estocadas (nas primeiras mesmo, sério) ele gozou rolando uma ejaculação precoce e eu fiquei parado vendo aquilo na maior decepção.

6: Uma carinha me chamou de manhã por que tinha acabado de sair de uma festa e ficou pra fora de casa. Chegando no meu apartamento eu comi o cu dele... Ele não parava de dar umas risadinhas enquanto conversava e curtia ser submisso. Enfim, nada demais.

7: Pode pular. Não teve experiência. O cara era bonitinho mas marcou, chegou, sentou no sofá e disse que se arrependeu de ter vindo pois tinha que ir embora por sei lá qual motivo. Não fizemos nada, só uns beijos mesmo.

8: Lembro que esse cara tinha o olho meio caído e era bem feinho, diferente das fotos que ele tinha no perfil do Grindr. Mas era o aniversário dele e ele foi bem gente boa. Tomamos um vinho, e o que eu me lembro bem é que ele tinha um jeito muito gostoso de piscar o cu muito forte enquanto eu metia.

9: Um cara meio calvo e enfermeiro com os lábios bem grandes de preenchimento. Chamei por que ele dizia curtir fisting. Trouxe até lubrificante e anestésico em gel. Enquanto eu metia meus quatro dedos naquele cu empinado de quatro sentindo todos os músculos de lá de dentro bem largos, ele gozava mais de 5 vezes (sério, nem eu nunca gozei tudo isso na punheta kk) de tanto tesão que ele tinha, gemendo alto em uma tarde no meio da semana.


10: Lembro vagamente de ser um cara com um cuzinho muito gostoso, que peidou na minha boca e vice versa. Mas que depois parou de me responder e eu fiquei morrendo de vontade de receber peido na língua de novo.

11: Cara, essa experiência foi com um famoso comediante! Mas ele não tem ideia dos meus fetiches... Paguei um boquete e chupei o cu dele, mas eu só conseguia pensar na ideia bizarra de estar fazendo isso por ser quem ele é kkkkk...

12: Um cara negro que tinha uma bolinha no cu fez aquilo me broxar um pouco. Mas foi um dia que cheguei a cansar de tanto transarmos. Rolou muito cuspe, fodi a garganta dele com força e gravei no celular aquele boquete babado.

13: ★ Chamei esse cara de "Cu 10". Simplesmente um carinha do cu perfeito, porra que saudades de chupar aquele cuzinho, caralho... Lembro que ele conseguia dar uns "beijinhos" com o cu enquanto piscava ele pra fora. O cara também tinha um bafinho bom que eu percebia enquanto ficamos de fofísse no pós sexo. Quase tudo isso não rolou porque naquele mesmo dia eu tinha um rolê com um amigo que veio de fora me ver. O cara foi bem gente boa comigo, mas depois me deu um fora falando que meus fetiches não era o que ele procurava.

14: Esse cara dizia ter uma tara enorme em dildos e consolos (aqueles pintos de borracha de sexshop). Ele curtia mais do que penetração em si, e enquanto eu estimulava um consolo preto no seu cu, ele cagou sem querer em tudo, sem perceber. Só depois de um tempo eu contei e ele morreu de vergonha. Ele era bem tímido tadinho.

15: Um garoto que parecia uma trans. Rosto com traços bem femininos, 1.90 metros de altura, e me disse que se sentia uma garota na hora da transa. Ele (ou ela) curtia falar putaria com merda mas só rolou uns peidos, que soltava depois de eu enfiar o chuveirinho que eu tinha de fazer a chuca pra poder usa-lo pra soprar dentro. Gozamos exatamente na mesma hora punhetando com os dois paus colados um no outro. Depois gozei dentro do cu pela primeira vez na vida.

16: ★ Transa foda. Foi de manhã, eu tinha cagado no box e ia curtir minha própria merda, mas tive que jogar tudo fora quando esse cara confirmou que ia colar. E valeu a pena. Ele disse que nunca tinha feito scat na vida, mas não sei não em... Cagava gostoso no meu pau e na minha mão. A consistência da bosta era mais molinha, mas era delicioso melar aquela bunda que ficou enfeitada com um pedaço de milho que saiu de presente. Ele falava que o cheiro forte era de sexo. E também uma hora sugeriu enfiar seu piercing dentro da minha ureta. Isso não rolou, não é pra mim... mas achei criativo.
(para ler este relato em detalhes clique AQUI)

17: Não rolou bem. Uma cara careca queria tentar algo fetichista mas chegou, peidou e ficou constrangido e aí então foi em bora.

18: ★ Experiência bem diferente e muito gostosa com um médico que tinha o fetiche de feminização. Ou seja, ele curtia que nós dois fossemos duas mulheres na cama, transando de calcinha feito lésbicas que dedavam o cu como se fosse a bucetinha uma da outra. No fim a gente foi pro banheiro e ele soltou merda no pau. "Sou bem cagona" ela me disse.

19: Encontrei no Grindr com um perfil duplo. Ele queria mamar alguém com o amigo, mas como só ele curtia os fetiche pig veio só ele mesmo. O pau fedia muito e era bem peludo, não curti. Era engraçado que ele gemia grosso... Mas foi daora tentar ser passivo com ele, eu de lado conseguia meter aquele pau algumas vezes no meu cu e ele com muita paciência ficava parado de pau duro deixando eu controlar.


20: Lembro que ele trabalhava em uma pizzaria e veio direto me ver de madrugada. Cocô muito gostoso, durinho lá dentro do cu que eu podia sentir dedando e colocando na boca escondido sem ele perceber. Mas por causa do cheiro ele quis parar e não curtiu a experiência com scat. Uma pena porque eu fiquei com muita vontade de colocar aquela merda na boca... No fim subi em cima dele e punhetamos com um pau colado no outro.

21: Conheci esse cara há muitos anos atrás, época que eu nem era assumido bissexual ainda. E por ele não ter paciência com essa situação, paramos de nos falar meio que brigados. Mas com a passar do tempo nos encontramos no app, ele já me conhecia do blog e voltamos a trocar putaria já que ele também tinha uma página no Twitter. No fim ele veio em casa no final da tarde, arranquei um pedacinho pequeno de merda com o dedo que esfregava naquela língua enquanto ele estava deitado com a cabeça no meu colo, sem nojo algum de sentir o meu gosto. Depois mijei e gozei na boca dele e ele dormiu em casa. Na manhã seguinte transamos ainda com sono.

22: O único cara dessa lista que veio por causa do Hornet (outro app de relacionamento gay). Ele tinha o cabelo descolorido bem baixinho, inclusive ele era cabelereiro, curtia beber e tinha terminado um namoro de anos no dia anterior. Ele bateu no cara, algo assim por causa da bebida... Isso me fez não querer mais nada depois mas naquele dia enfiei o chuveirinho no cu dele pra sair a chuca e de dentro veio um pedaço de bosta que pra minha surpresa nos beijamos com ela - mesmo ele nunca tendo feito nada na vida com cocô antes. 

23: ★ Nic (nome fictício) morava a 400 metros de casa. Ficamos dias trocando ideia de quanto éramos tarados em chupar cu e que aquilo era o que mais dava tesão nos dois. No dia que a gente se encontrou na frente do shopping perto de casa, peguei algo pra comer e viemos pro meu apartamento. Rolou 69 de chupação de cu e ficamos um bom tempo se lambendo assim... curtiamos o beijo fazendo barulhinho de peido com a boca e nos beijamos de baixo do chuveiro tipo cena de novela, meio romântico meio safados por causa do gosto de cu na boca.

24: ★ Ele tinha um cheiro gostoso e um peido delicioso que soltava na minha cara, só que ele era meio tímido, não falava muito e nunca tinha feito scat antes. Mas mesmo assim cagou no meu pau e punhetamos. Depois sumiu...

25: Nic, o cara que morava perto de casa veio de novo. Só que ele estava cansado e com preguiça nesse dia, foi bem diferente da primeira vez, mas ele chupou bastante meu cu enquanto eu só fiquei de lado com os olhos fechados curtindo o momento.

26: Cara bonito, tentamos transar pouco antes de eu trabalhar, falou muito mas chegou aqui e não cagou. Fora isso não bateu nenhuma química. Ele também tinha um cheiro exagerado de perfume.

27: Lábio gostoso pra beijar e chupar, ele tinha fetiche em dupla penetração então eu ficava falando umas putarias relacionadas enquanto mentíamos. Não me lembro muito...

28: ★ Vou chama-lo de . Essa foi A TRANSA de peidos dessa lista. Esse moleque era magrinho, gato, tatuagem no peito, bonézinho pra trás... jeitinho que eu curto. E nas putarias que trocamos por áudio ele falava que amava peidar e queria muito transar assim. Isso já me deixou louco na ideia de transar com ele e fizemos. Ele colou bem de noite, trocamos uma boa ideia sobre relacionamento e depois transamos pra caralho com peido. Eu abria aquele cu e soprava até ele pedir pra parar, peidando pra caralho na minha boca enquanto falava umas putaria de como era boa aquela sensação de soltar um peidão gostoso pra mim. Caralho, lembro da hora que ele sentou no meu pau de costas, eu deitado na cama e ele com as pernas encaixadas pra trás, peidando a cada estocada, tremendo meu pau todinho e fazendo aquele barulho gostoso. Fizemos isso até cansar, não faço ideia do quanto ele peidou aquele dia... Era peido pra caralho, ele amava mesmo... Se eu pudesse teria transado muito mais com ele assim mas pena que ele me enrolou em outras tentativas. Saudades! kk Quem curte bastante peido me desperta um tesão sujo diferente, coisa de moleque porco mesmo.

29: ★ Uma das transas mais nojentas e gostosas que eu tive nessa lista. Leandro ficava me falando no dia anterior que era certeza absoluta que ele queria merda na boca. Feito. Dia seguinte lotei aquela boca e nos beijamos com merda (primeira vez que eu beijei com bastante merda, a primeira transa tinha sido apenas com o gostinho). Fizemos também um potinho nojento com nossos fluidos misturados, merda, mijo, cuspe... Um tesão. Gozamos umas 3 vezes nesse dia, estávamos querendo nojeira pra caralho mesmo. Quando ele foi embora deitei na cama vendo fogos de artificio e pensando comigo mesmo o quanto eu amava ser um cara pig. 
Pena que instantes depois veio uma notícia muito merda que me deu um susto muito grande e deu uma estragada no meu dia. Dia muito bom e muito ruim ao mesmo tempo.
(para ler este relato em detalhes clique AQUI)


30: Fiz meu primeiro ménage na vida com dois homens trans (dois caras com buceta) que eram meus vizinhos. Eles curtiam BDSM, então toda a transa começou com eles me vendando e me amarrando, me fazendo sentir sensações de beijos, lambidas nos mamilos e vibrações no saco, tudo sem enxergar nada, nem podendo saber qual boca era de qual cara. Estava nervoso, meu pau não ficava duro... eu não estava em um dia bom... era buceta pra tudo quanto é lado! Um deles ficava esfregando o grelo na minha boca enquanto o outro gozava no estilo squirt na minha mão... a experiência valeu super. Uma confusão boa eu diria.

31: Tentei transar com Leandro mais uma vez, o cara da transa mais gostosa e nojenta até então. Mas agimos por impulso. Os dois estavam de cabeça cheia de problemas pessoais mas mesmo assim insistimos tentar... E foi péssimo. Caguei de novo na boca dele mas agora ele inventou limitações como não melar a cara, as mãos e o pau, não queria bagunçar o cabelo e não queria que ficasse cheiro na pele... no fim foi bem ruim comparado da primeira vez com ele. Meio que desistimos mesmo e ele foi em bora.

32: Eu já tinha conversado com esse cara anos atrás. Nas fotos ele parecia ser bem mais magro, feminino no estilo modelo artístico, usava moicano e tal mas chegando ele não era bem o que parecia nas fotos. Tinha mudado de estilo, estava mais gordinho e menos feminino. Ele era ativo, sentei no pau dele por cima e caguei uma merda que... Bom, digamos que não é legal comer pipoca no dia anterior de fazer scat. Sai todas as casquinhas duras de milho na merda kkk Ele parecia ter um pouco de nojo da situação mas mesmo assim chupei o pau dele pra sentir o meu gosto.

33: ★ Conheci esse cara por indicação de outro que só me enrolou... Ele se dizia bem porco e tinha uma tara enorme por cuspe. Queria que eu produzisse um drink com meus fluidos pra ele. Aí quando ele veio, peguei um potinho e a cada cuspida na boca ele cuspia tudo acumulado no pote. A porquice dava tanto tesão que ele fez um negócio gostoso pra caralho... Ele meteu a língua dentro do meu nariz e chupava lá dentro... Tesão! Aí depois de muito cuspe e meleca, caguei na mão e beijei ele, só que ele não curtiu a parte da bosta. Aí ficamos mais no cuspe e ranho mesmo.

34: ★ Jack era um cara preto, baixinho e gostoso... Beijamos muito, punhetamos, ele pulou em cima de mim e carreguei ele até a cama... transa quente. Fui ativo e passivo. O gostoso foi comer aquele cu enquanto ficamos sentados meio que entrelaçados de frente um pro outro na cama, sem pressa. Aí ele melou meu pau. Depois ele comeu meu cu e conseguiu mijar dentro!! Mano, eu precisava sentir essa sensação um dia!... 

35: Foda rápida com merda. Eu precisava sair rápido de casa, tinha marcado um churrasco com os meus amigos. Ele veio, usava óculos, afobado, queria experimentar scat pela primeira vez. Fomos sem muita demora pro banheiro e ele cagou uma merda mole bem escura no meu peito, muito quentinha. Lembro da temperatura só de contar.

36: ★ No churrasco, fiquei com uma amiga que vou chamar de Paula (nome fictício). De madrugada ficamos bêbados e pela manhã ela me pagou um boquete hard engasgando pra caralho no meu pau.  Eu puxava seu cabelo, a maquiagem borrava e eu batia com meu pau na cara dela e dava tapas do jetinho que ela gostava de ser tratada como minha submissa. Minha primeira experiência relacionada a dor e dominação no mundo BDSM... Paula curtia tanto que me instigou a fazer.

37: Jack, o cara preto e gostoso voltou. Nesse dia ele veio preparado, cheiasso de bosta como eu havia pedido pra ele guardar pra mim. Ele ainda estava conhecendo o fetiche e não conseguia nem tocar na merda enquanto eu brincava com ela sentado no chão, ele cagou tanta bosta que tiramos algumas fotos com a perna dele escrito "QueroScat" pra eu poder postar. 

38: Minha amiga Paula veio em casa depois do trabalho, nesse dia lembro que chupei gostoso a buceta dela e batia forte na sua bunda pra que quando visse as marcas ela lembrasse daquele momento a semana toda.

39: ★ Dias depois Paula voltou pra minha casa. Eu estava bêbado depois de ter trabalhado a madrugada toda, aí trocamos uma ideia de manhãzinha e começamos a transar. Ela já sabia dos meus fetiches escatológicos como eu também sabia dos fetiches que ela tinha por BDSM, dominação e submissão. Estávamos descobrindo o mundo dos fetiches um do outro. Então Paula queria experimentar Golden Shower. Dominando levei ela ao banheiro quando Paula não aguentava mais de vontade de mijar, mas ao mesmo tempo estava muito nervosa pois não fazia ideia de como iria mijar em mim. Curti aquele momento um pouco, aquela carinha de assustada olhando pra mim sem saber o que ia acontecer e como fazer, só esperando a minha ordem de mandar ela ir para dentro do box do banheiro e segurar ainda mais o xixi. Enquanto eu chupava sua buceta, ela abria as pernas de pé e perguntava se já podia soltar, e eu negava, mostrando que eu tinha o controle da situação e que ela só poderia fazer quando eu quisesse. Eu tinha controle até do que estava dentro dela. Depois de chupar ainda mais, falei pra ela soltar e ela fez soltando jatinhos tímidos até o fluxo começar a sair mais forte enquanto eu abria a boca e lambia. Quando terminamos tudo, trocamos uma longa conversa do quanto era gostoso sentir aquele mijo quente escorrendo na minha boca, e ela ainda sem acreditar na experiência que tinha vivido, disse ter sido muito melhor do que ela estava esperando, e que prestou atenção até no barulhinho do mijo caindo no chão e na sujeira toda que ela fazia. Curtimos muito.


40: ★ Paula mais uma vez veio pro meu apartamento por volta das cinco da tarde. Fizemos o de sempre... engasgar no meu pau com muita saliva grossa e eu chupar e dedar seu cu. "Quanto mais nojento melhor" ela disse. No final ela me conta que sentia muito tesão em porra e que queria beijar assim um dia. Pouco depois esporrei na boca dela e ela me beijou em seguida, trocando aquela porra com cuspe de boca em boca por um tempinho, tipo um milk shake de porra mesmo kkkk até que esfreguei aquela meleca no seu rosto e deixamos secar. 

41: ★ Dei sorte de encontrar um cara no Grindr que estava na estação de metrô mais próxima de onde eu morava. Lembro que eu tinha acabado de acordar, acordei tarde inclusive, e que pouco menos de 40 minutos ele já estava em casa. Rolou cuspe, mijo, peido, um pouquinho de merda na dedada, beijo com porra e chupadas na minha axila. Brincamos por um tempo assim, suamos, fizemos uma transa explorando tudo que podíamos... Me lembro da gente no banho, eu mijei na boca dele e ele cuspia o mijo na minha axila pra ficar lambendo o suvaco com o gosto do mijão pra ficar tudo mais porco.

42: ★ Eu e minha amiga Paula estávamos em mais um churrasco, dessa vez na casa dela. E depois de uma discussão que tivemos bêbados eu pedi pra sair pra mijar. "Mija na minha boca" ela disse. A discussão terminou ali e uma transa de umas duas horas começou trancados no banheiro, um mijando na boca do outro, ela sentada no vaso com meu dedo dentro do cu forçando pra cagar sem sucesso, banho, ela pegando garrafa de água na geladeira pra conseguir mijar mais e engasgadas com cuspe no meu pau rolavam... esses são flashes de coisas que eu me lembro, já que estávamos bêbados e provavelmente todo mundo escutava de lá de cima os tapas mais fortes que eu dava na bunda dela.

43: Foi rápido, o cara disse que estava com muita vontade pra cagar. E realmente ele chegou tão apertado que fomos direto pro banheiro pra ele cagar no meu pau. E cagou feio. Merda meio amarelada, meio mole... Não curti nem um pouco. Meti um pouco e já gozei pra ele vazar logo. 

44: Esse cara era meu fã na época do Snapchat e eu bloqueei ele por algum motivo. Aí ele me encontrou no Grindr anos depois e no mesmo dia veio em casa. Me pagou um boquete, deitamos, dedamos nossos cus cheios e dávamos o dedo melado um pro outro chupar sentindo o gosto de cocô. Aí no final punhetamos com nossas merdas sentindo bem a textura nas duas mãos. Fazendo tipo um ASMR de merda pra sentir a sensação mesmo, da textura e do barulhinho que fazíamos quando amassávamos aquela massa marrom com os dedos.

45: ★ Vou chamar ele de Luiz (nome fictício). Ele se denominava "bezerrinho" no app de putaria. Um novinho de uns 22 anos que amava chupar um pau, tinha o jeitinho de submisso e curtia ser chamado de viadinho mesmo. Ele queria sentir o gosto do seu macho por inteiro. Aí ele gemia de tesão na coisa que ele mais curtia fazer: Enfiar a língua lá dentro do meu nariz pra sentir meu ranho na boca dele. Chupava com vontade mesmo enquanto dedava seu cu em uma foda no estilo gouinage, sem penetração. Com os olhinhos fechados ele dizia que nasceu pra fazer isso, nasceu pra sentir o gosto do meu ranho e comer minha merda. E por mais que não tivesse rolado nada com merda naquele dia, eu já estava treinando aquele submisso porco.

46: ★ Chamei Luiz de novo pra vir curtir o ranho do meu nariz . Cara, esse putinho faz tudo o que eu mando até ficar exausto de me servir. Gostoso meter o pau lá dentro da garganta segurando a boca e fazendo um gancho com os dedos pra caber tudo. Escorria seu ranho com seu cuspe a cada engasgada que dava saboreando minha rola.
No banheiro, inventei de fazer a chuca naquele cu pra ele sentir a água quente dentro do rabo e gozei na sua boca.

47: ★ Kaique é um cara que pensei que ia me enrolar, como a maioria dos caras fazem. Seu perfil denominado como "privada humana" dizia que queria receber merda na boca. Depois de ver alguns vídeos dele no Twitter e trocarmos uma ideia de como ele realmente queria, combinamos em um final de tarde e ele realmente veio. No beijamos deitados e logo ele me pedia bosta. Ajoelhado encostado no meu cu, caguei uma farta bosta bem escura naquela boca, bosta cor de Nutella (a minha favorita). Ele não tinha experiência em mastigar, apenas de receber e aos poucos fui fazendo ele se acostumar com um beijo todo melado de bosta fresca.

48: ★ Esse moleque cagou MUITO gostoso. Foi um cara que me disse ter muita vontade de cagar mas nunca tinha feito nada. Porra, mas quando ele fez foi a merda mais gostosa que eu recebi todinha na mão enquanto eu via aquele cu abrir cagando tudo. Fedia muito gostoso, escura, tinha o suficiente pra gente melar todo o nosso corpo e ficar se esfregando, tudo isso aos pouquinhos por que ele estava se acostumando com a ideia desde relar na merda pela primeira fez até aquilo tudo secar no nosso corpo. Sério, se ele curtisse na boca (tentei bastante) eu teria mastigado a dele. Bosta bem gostosa mesmo parecida com a minha. Aí ele me pediu pra cagar no peito dele também e terminamos bem melados de tanto se esfregar com as merdas misturadas e secas por toda a parte da nossa barriga, pernas e braços. Ele só não queria melar o pau e quase criou coragem de lamber meu peito cagado no fina. Horas depois, quando eu já estava sozinho jantando no shopping, eu ficava cheirando as mãos pra poder sentir o cheiro daquela bosta de novo.

49: Luiz, meu submisso bezerrinho voltou em casa era mais ou menos oito da noite em um dia que eu precisava transar. E como das outras vezes, aquele sub porco se deliciou chupando meu nariz com ranho, pau, axilas e pés... Eu fazia ele sentir meu gosto por completo, e dedando seu cu, dei pra ele chupar aquele meladinho de cocô que saia daquela bunda pequena. Ele estava ali pra me agradar até se tremer de tesão e cair aos meus pés ajoelhado de cansaço. Gozei na sua cara e cuspi por cima, ele gozou em seguida na minha mão e fiz ele lamber de volta.


50: ★ Kaique, o último cara que eu caguei na boca e que se dizia "privada humana" me manda uma mensagem em um dia frio de São Paulo falando que nada melhor que uma merda quentinha naquele dia. Ajudei ele com o uber e jantei macarrão minutos antes pra ter merda pra gente se beijar de novo. Ele chegou, nos enrolamos na coberta pro frio passar e nos beijávamos enquanto ele falava que veio até com fome pra tentar engolir dessa vez. Fiz ele chupar minha língua imaginando que era um troço de bosta duro, até que em instantes já estávamos no banheiro. Nosso tesão era esse mesmo, eu cagar na boca dele e nos beijarmos. Ele então se ajoelhou e eu enchi sua boca de novo. Mesma coisa da outra vez... merda linda, cor Nutella, mesma consistência, durinha na ponta e macia no meio... minha merda preferida. Dessa vez ele já conseguiu ir mais além treinando chupar e mastigar minha bosta com um beijo farto da merda que tinha acabado de sair do meu cu. Depois de praticamente melarmos tudo de bosta e dissolvermos e merda todinha na nossa boca, cuspindo aquela baba grossa marrom, ele tentou engolir... mas ainda não conseguiu. Fica pra uma próxima... que eu já não vejo a hora de fazer de novo.




Nenhum comentário:

Postar um comentário